São Francisco do Piauí - PI

MP apura irregularidades em licitação em São Francisco do Piauí

A portaria nº 030/2017 foi assinada pelo promotor de Justiça Carlos Rubem Campos Reis, nesta quarta-feira (03).

Raisa Brito
Chefe de Redação
- atualizado

O Ministério Público do Estado do Piauí abriu inquérito civil para investigar irregularidades em licitação da prefeitura de São Francisco do Piauí na gestão do atual prefeito Antonio de Lú. A portaria nº 030/2017 foi assinada pelo promotor de Justiça Carlos Rubem Campos Reis, nesta quarta-feira (03).

Os vereadores Edilberto de Sousa Santos, Leide Laura da Silva Sousa, José Moura Santos Júnior, João da Costa Pereira Filho e Miguel Gomes Pinheiro, denunciaram irregularidades na licitação, tipo Pregão Presencial - SRP nº 010/2017, em que a Empresa Individual Adryely da Rocha Fontes - Sacolão da Economia sagrou-se vencedora. O termo de homologação foi publicado no Diário Oficial dos Municípios de dia 03 de março de 2017.

Segundo os denunciantes, a proprietária da empresa, Adriely da Rocha vive em união estável com Mayke Figueiredo Mendes de Carvalho, irmão do Secretário de Administração do Município de São Francisco do Piauí, Diego Figueiredo Mendes de Carvalho.

Os parlamentares afirmaram ainda que no endereço Rua Coronel Mundico Sá, nº 234, que consta como sendo da Adryely da Rocha Fontes - Sacolão da Economia não funciona nenhuma empresa.

O objeto do contrato é registro de preço para aquisição de bens comuns (Lote I- Carnes e Frios) e (Lote II- Frutas e Verduras) para atendimento das necessidades do Hospital Municipal de São Francisco do Piauí.

O promotor determinou que o prefeito Antônio Martins de Carvalho, o Antonio de Lú, seja oficiado para que preste esclarecimentos acerca da denúncia com fornecimento integral de cópia do Procedimento Licitatório.

Outro lado

O GP1 conversou, na tarde desta quinta-feira (04), com a proprietária da empresa, Adriely da Rocha, que negou as irregularidades: "Não existem irregularidades na empresa, não houve nenhuma irregularidade na licitação, o endereço que funciona a empresa não é o Coronel Mundico Sá, é o endereço Avenida Floriano Peixoto, em Oeiras e eu não vivo em união estável com o Mayke e eu tenho como comprovar isso, ele é meu namorado, inclusive ele mora em Belém, no Pará, outro estado e eu morro no Piauí, em Oeiras. É impossível a gente ter uma relação além de namoro à distância".

"Essa denúncia é sem fundamentação e ela é fruto de divergência política, mas nada mais do que isso", finalizou. 

Já o prefeito Antonio de Lú e o secretário de Administração, Diego Figueiredo Mendes de Carvalho, não foram localizados para comentarem a denúncia.