São Paulo - SP

Onze bandidos são mortos após tentativa de assalto a bancos em SP

Os moradores foram acordados por explosões, intenso tiroteio e o barulho de sirenes. Ruas da cidade foram interditadas e comércio fechado após ataque dos criminosos.

Por  Estadão Conteúdo

Ao menos 11 suspeitos morreram durante tentativa de assalto a dois bancos, na madrugada desta quinta-feira, 4, em Guararema, na região metropolitana de São Paulo. De acordo com a polícia, um homem foi preso nesta manhã na área de mata da região.

Os moradores foram acordados por explosões, intenso tiroteio e o barulho de sirenes. Ruas da cidade foram interditadas e comércio fechado após ataque dos criminosos.

Por volta das 3 horas da manhã, um grupo de 25 criminosos atacou as agências do Banco do Brasil e do Santander. Os criminosos explodiram os caixas eletrônicos do Banco do Brasil e atacaram a outra agência, mas não teriam conseguido levar o dinheiro.

O bando era monitorado há pelo menos nove meses pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Sorocaba e a Polícia Militar conseguiu cercar os criminosos ainda durante a ação.

Em entrevista à Rádio Eldorado, o Major Emerson Massera, porta-voz da Polícia Militar do Estado de São Paulo, destacou a ação ousada dos criminosos. "Nós já tínhamos a informação de que poderia haver algum crime nessa região durante essa madrugada e por isso reforçamos as equipes especializadas de policiamento. Eles estavam tão preparados que foram com carros blindados para praticar essa ação. Um estimativa de 25 criminosos em 5 carros blindados. Realmente um preparo que chama atenção", explicou.

O grupo foi atacado na estrada que liga a cidade a Santa Branca. Ao menos seis suspeitos foram mortos no local. Durante a fuga, um homem foi tomado como refém e o criminoso conseguiu invadir um sítio, arrombando a porta. Vanderleia Vicente Gomes e o marido dela também foram feitos refém, mas os policiais invadiram o local e mataram o criminoso. Até o início da manhã, a PM continuava em busca de outros suspeitos. As agências estavam interditadas por terem sido deixados explosivos em seu interior.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), até o momento, foram apreendidos sete fuzis, quatro pistolas, duas espingardas calibre 12, um revólver, explosivos e coletes balísticos.

Mais conteúdo sobre: