São Julião - PI

TJ nega liberdade a acusado de matar suplente de vereadora no Piauí

O acusado foi preso no dia 14 de março de 2018, acusado de matar a sua esposa, Rosiana da Silva Pereira, suplente de vereadora.

Davi Fernandes
Teresina
- atualizado

A 1ª Câmara Especializada Criminal do Tribunal de Justiça negou o pedido de habeas corpus de Alexandre de Lima Silva, acusado de assassinar a esposa e suplente de vereadora, Rosiana da Silva Pereira, 27 anos, com uma facada em São Julião, no dia 11 de março de 2018. A decisão é do último dia 25 de setembro e publicada no Diário Oficial Eletrônico nesta quinta-feira (24).

O relator do processo foi o desembargador Pedro de Alcântara da Silva Macêdo, que nos autos considerou que houve prova da materialidade e indícios suficientes de autoria do suspeito para ser decretada a prisão preventiva.

  • Foto: WhatsappRosiana da Silva PereiraRosiana da Silva Pereira

“Na hipótese, partindo-se da premissa de que há prova da materialidade do delito e indícios suficientes de autoria, verifico que agiu acertadamente o magistrado ao decretar a prisão preventiva com fundamento na garantia da ordem pública, em razão da gravidade concreta do crime e periculosidade do paciente, demonstrada pelo modus operandi, uma vez que fora praticado mediante grave violência, configurada pelos golpes de faca desferidos contra a vítima, o que resultou na sua morte, além do motivo fútil que teria levado a perpetração do delito”, destacou.

Prisão

Alexandre de Lima Silva foi preso no dia 14 de março de 2018 acusado de matar a esposa, Rosiana da Silva Pereira, suplente de vereadora. A captura do indivíduo aconteceu na zona rural do município de Francisco Santos.

A delegada Robianne Belém, da Delegacia de Polícia Civil da cidade de Fronteiras, informou na época que o crime foi motivado por ciúmes. “Eles eram casados e o Alexandre sentia muitos ciúmes de sua companheira. Ele acreditava que Rosiana estava traindo-o e, durante uma briga, o acusado matou a sua esposa com uma faca de mesa”, relatou.

A facada atingiu o coração da vitima. Durante a prisão de Alexandre, ele alegou que não lembrava do ocorrido. “Ele não reagiu durante a captura. Entretanto, alegou que não se lembrava do caso, mas confessou sentir muitos ciúmes da companheira”, finalizou.

Relembre o caso

A suplente de vereadora Rosiana da Silva Pereira, de 27 anos, foi assassinada no dia 11 de março deste ano pelo marido em sua própria residência, situada no povoado Fujona, zona rural da cidade de São Julião do Piauí. A vítima chegou a ser socorrida e encaminhada para o Hospital Regional Justino Luz, em Picos, mas acabou não resistindo aos ferimentos.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Acusado de matar suplente de vereadora é preso em Francisco Santos

Suplente de vereadora é morta pelo marido em São Julião