Fechar
GP1

Teresina - Piauí

Detentos gravam vídeo e reclamam da ação da polícia na Irmão Guido

No vídeo os presos reclamam da ação dos policiais e pedem ajuda dos Direitos Humanos.

Um vídeo de detentos reclamando da ação da diretoria da Penitenciária Irmão Guido está sendo divulgado nas redes sociais. No domingo (14) ocorreu um motim e foi realizada uma vistoria, onde teria sido usada uma bomba de efeito moral e spray de pimenta que teriam vitimado o preso Kelvin Sousa Alves, o que gerou revolta entre os detentos.

No vídeo os presos reclamam da ação dos policiais e pedem ajuda dos Direitos Humanos, afirmando que a morte de Kelvin foi em decorrência da ação dos policiais da Secretaria de Justiça. No vídeo, aparece apenas os pés dos detentos, que afirmam que o novo diretor, “disse que iria dar melhorias para os presos e as visitas, mas já chegou matando um preso de asfixia com pimenta”.

Afirmaram que a ação dos policiais deixou “vários presos baleados aqui na Irmão Guido. Nós não queremos ele aqui que está oprimindo todo mundo”. Eles chegam a pedir ajuda dos Direitos Humanos. “O que nós quer é que os Direitos Humanos tome providências... venha no pavilhão B essa semana porque vai terminando o segundo preso a morrer”, afirmaram.


  • Foto: Divulgação/WhatsAppDetento que faleceu na Irmão Guido Detento que faleceu na Irmão Guido

Sinpoljuspi se pronuncia

O vice-presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí, Kleiton Holanda, explicou que a causa da morte não foi detectada e que é preciso analisar a ação dos policiais.

“Esse vídeo foi divulgado por familiares de presos, onde eles reclamam desse uso das bombas né, porque em ambiente fechado não podem ser soltas sem planejamento. Tem que ver a forma de usar em um motim e rebelião. A tentativa de motim foi pela manhã e a vistoria ocorreu à tarde, quando soltaram esse material. Quem leva esse material são os policiais que estão à disposição da Secretaria de Justiça, no setor chamado Dipe. Se foi por causa da soltura dessas bombas [a morte do detento], vai caber a polícia judiciária fazer esse levantamento e as investigações. A secretaria deve dar alguma satisfação para a sociedade”, afirmou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Kleiton HolandaKleiton Holanda

Ele explicou que se a situação não for esclarecida, poderá trazer mais problemas para a penitenciária. “Isso infelizmente causa um transtorno muito grande, pois os presos ficam inflamados e pode trazer consequências piores que as de ontem. Se for confirmado que teve uma ação desastrosa da polícia lá dentro, que tirou a vida de uma pessoa, precisam ser tomadas providências. A perícia será feita e isso [causa da morte] será identificado”, explicou.

Outro lado

A assessoria de imprensa da secretaria de Justiça negou as declarações sobre a morte do preso. Afirmou que Kelvin reclamou no sábado (13) que estava passando mal. Por causa disso, foi levado imediatamente ao hospital, foi atendido e recebeu alta. Ontem (14), ele faleceu. Destacou que a gerência do presídio prestou toda assistência médica.

“Durante a vistoria, o preso conversou com a equipe de vistoria, dizendo que não estava se sentido bem. Logo, o Samu foi acionado, para prestar atendimento, mas o preso faleceu. Sobre os demais pontos [ação dos policiais], a Sejus está investigando”, explicou a assessoria.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.