GP1

Teresina - Piauí

Greve dos motoristas e cobradores é encerrada em Teresina

A informação do fim da greve foi confirmada pelo secretário de comunicação do sindicato, Miguel Arcanjo.

A greve dos motoristas, cobradores e demais trabalhadores do transporte público de Teresina foi encerrada na manhã desta quarta-feira (10), após assembleia realizada na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários (Sintetro).

A informação do fim da greve foi confirmada pelo secretário de comunicação do sindicato, Miguel Arcanjo. “Houve assembleia hoje pela manhã na sede do Sintetro e os trabalhadores que compareceram à assembleia decidiram pelo fim da greve”, afirmou.

Foto: Lucas Dias/GP1Passageiros ficam sem ônibus em Teresina
Passageiros de ônibus em Teresina

A greve havia sido deflagrada no último dia 27 de outubro, após assembleia na sede do Sintetro, em reinvindicação e cobrança pela assinatura da convenção coletiva da categoria por parte dos empresários do transporte, representados pelo SETUT.

Convenção coletiva

"A convenção é o que vai dar a segurança do trabalhador para receber o salário e benefícios dele de forma correta. Sem a convenção o empresário paga o trabalhador por hora trabalhada, onde ele trabalha três dias para ganhar uma diária. A gente ter uma segurança é preciso, pois os empresários fizeram o acordo com a prefeitura, receberam os valores devidos, receberam com os valores do salário de R$ 2.039,00 do motorista e paga somente o de R$ 1.941,00 fazendo uma jornada de três dias para ganhar uma diária de R$ 70”, contou o presidente do Sintetro, Ajuri Dias.

Convenção só será assinada em janeiro, diz SETUT

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) se pronunciou na manhã do dia 27 de outubro, sobre a greve por tempo indeterminado, que foi deflagrada pelos motoristas e cobradores de ônibus em Teresina.

Conforme a empresa, o acordo coletivo, principal pauta dos motoristas e cobradores de ônibus, só será discutido em janeiro. “O Setut reforça que a possibilidade de assinatura da Convenção Coletiva com os trabalhadores deve ser discutida em janeiro de 2022, conforme data base, determinada por lei”, diz trecho da nota enviada pelo Setut.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.