GP1

Teresina - Piauí

Prefeito Dr. Pessoa manda investigar contrato com empresas de ônibus

A Comissão Especial será coordenada pelo representante da STRANS e as atividades dos membros não serão remuneradas.

O prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, instituiu Comissão Especial Mista para apurar irregularidades no edital de Concorrência 001/2014, referente à prestação do serviço de transporte coletivo urbano no Município. O decreto foi assinado no dia 15 de março.

De acordo com o documento, além de apurar irregularidades a comissão, que será vinculada à Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), também vai aplicar medidas administrativas e sanções contratuais.

Para criar a comissão, o prefeito considerou os relatórios do setor de fiscalização que atestam que as concessionárias do Edital de Concorrência 001/2014, incorrem num flagrante e rotineiro descumprimento das condições mínimas legais, editalícias e contratuais estabelecidas para prestação dos serviços de transporte coletivo urbano de Teresina.

Foto: Lucas Dias/GP1Dr. Pessoa
Dr. Pessoa

A comissão será formada por: Felipe dos Santos Pereira Leal - representante da Strans; Ari Ricardo da Rocha Gomes Ferreira, representante da Procuradoria Geral do Município; Márcia Fernanda Rio Lima Rego, representante da Controladoria Geral do Município; Márcio Jorge Soares Veloso - representante da Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos; Kárita Allen Pereira dos Santos, representante da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação; João de Deus Duarte Neto, representante da Empresa Teresinense de Desenvolvimento Urbano (ETURB); e Danilo Barros Bezerra, representante da Secretaria Municipal de Governo.

A Comissão Especial será coordenada pelo representante da STRANS e as atividades dos membros não serão remuneradas.

Greve dos motoristas de ônibus por mais de 1 mês

Desde o início da pandemia o transporte público se transformou no pesadelo do teresinense, situação que se agravou devido a greves deflagradas por motoristas e cobradores que tiveram benefícios cortados e salários atrasados ao longo dos meses. A última greve teve início no dia 8 de fevereiro, e foi suspensa por um prazo de 90 dias após um mês de paralisação, já no dia 15 de março, depois de uma audiência pública entre o Setut e o Sintetro no Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

Em entrevista ao GP1, Ajuri Dias, presidente do Sintetro, contou que os empresários vão pagar os salários atrasados de janeiro dos motoristas e cobradores. A greve retornará se depois dos 90 dias não houver nenhum acordo em relação à convenção coletiva de trabalho, e o Tribunal Regional do Trabalho do Piauí (TRT) vai estar condicionado a fazer o julgamento das contestações dos motoristas e cobradores.

Foto: Lucas Dias/GP1Ajuri Dias
Ajuri Dias

“Eles vão pagar os salários atrasados de janeiro, e nesse período de 90 dias se não tiver nenhum acordo em relação a convenção coletiva de trabalho, a gente volta novamente a fazer greve e o TRT está condicionado a fazer o julgamento do dissídio coletivo”, informou Ajuri Dias.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.