GP1

Teresina - PI

Senador Marcelo Castro não acredita em realinhamento entre PP e PT

"Tem que trabalhar com que é provável, com o que é razoável e não com exceção à regra”, analisou Castro.

Alguns segmentos da política não descartam a possibilidade de uma reaproximação entre o Progressistas e o ex-presidente Lula (PT), que deve enfrentar Jair Bolsonaro (sem partido) na disputa pela presidência da República em 2022. No Piauí a situação tem dividido opiniões, alguns não descartam essa abertura de diálogo entre PP e o PT, mas a maioria, não acredita em um realinhamento, haja vista que, o presidente nacional do Progressistas senador Ciro Nogueira, é hoje o maior opositor do Governo Wellington Dias (PT-PI).

O GP1 conversou nessa terça-feira (08) com o presidente do MDB no Estado, senador Marcelo Castro. Embora reconheça a dinamicidade da política, ele afirmou que não enxerga clima para uma retomada de aliança.

Foto: Lucas Dias/GP1Senador Marcelo Castro
Senador Marcelo Castro

“Nenhuma possibilidade, completamente [descartada aliança PP e PT]. Entreviste o Ciro Nogueira que ele vai dizer de maneira muito clara. Não vejo a menor possibilidade. Embora em política, na medicina e no amor, nem jamais e nem sempre [devem ser ditos]. Tudo é possível, mas a gente tem que trabalhar com que é provável, com o que é razoável e não com exceção à regra”, analisou Castro.

Opositores

No Piauí, Ciro Nogueira é visto como maior adversário de Wellington Dias. O senador do PP é o nome mais cotado para concorrer ao comando do Palácio de Karnak no pleito do ano que vem. Além disso, na esfera nacional, o Progressistas é hoje um dos principais aliados do presidente Jair Bolsonaro.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.