GP1

Teresina - Piauí

Mulheres acusam secretário do PT de racismo e misoginia em Teresina

As filiadas foram formalizar uma representação na Comissão dos Direitos Humanos da Câmara de Teresina.

Um grupo de mulheres filiadas ao PT foram à Câmara de Teresina nesta sexta-feira (16) denunciar o secretário de formação da sigla, Gil Ferreira da Silva Neto, de racismo e misoginia. Na ocasião, o vice-presidente do PT em Teresina, vereador Dudu, ouviu as filiadas.

O parlamentar reforçou que é necessário que esse tipo de crime seja punido e repudiado veemente, principalmente no PT, tendo em vista que a sigla se mostra como defensora dos direitos humanos e contra discriminação, seja de sexual, de raça ou crenças.

Foto: Lucas Dias/GP1Vereador Dudu
Vereador Dudu

“Acho que qualquer tipo de crime, seja ele racial, sexual, enfim, qualquer tipo de crime, de questão que envolve discriminação, a gente tem que repudiar veementemente. Nós do PT estamos exatamente lutando contra esse tipo de discriminação, jamais poderemos passar a mão seja em quem for, porque temos que dar o exemplo dentro de nossa casa”, afirmou Dudu.

Foto: GP1Mulheres denunciam secretário do PT
Mulheres denunciam secretário do PT

Conforme o parlamentar, as filiadas foram formalizar uma representação na Comissão dos Direitos Humanos da Câmara de Teresina por acreditar que o processo no conselho de ética do PT está lento.

“As companheiras estão achando que o conselho de ética do PT está andando a passos lentos, estão trazendo e vão fazer a formalização na Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal, na Comissão de Direitos Humanos da Alepi e do Congresso Nacional para que esse tipo de crime não passe impune”, finalizou o vereador.

Outro lado

Procurado na manhã desta sexta-feira, Gil Ferreira da Silva Neto não atendeu as ligações.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.