GP1

Teresina - Piauí

Câmara aprova criação de mais dois conselhos tutelares em Teresina

O projeto da Prefeitura de Teresina foi aprovado, na manhã desta terça (17), em duas votações.

A Câmara Municipal de Teresina aprovou, na manhã desta terça-feira (17), por unanimidade, em duas votações, a criação de mais dois conselhos tutelares, que vão funcionar nas zonas leste e sul da Capital.

O vereador Enzo Samuel destacou que atualmente Teresina possui cinco conselhos tutelares, mas que o ideal é que sejam oito. “Teresina tem uma necessidade de oito conselhos, hoje conta com cinco e agora estão sendo criados mais dois graças ao nosso prefeito Dr. Pessoa e a sua sensibilidade. Hoje, quem ganha é a população de Teresina”, afirmou.

Foto: Alef Leão/GP1Câmara aprova criação de mais dois conselhos tutelares
Câmara aprova criação de mais dois conselhos tutelares

“Esperamos que esses novos conselheiros possam exercer um bom trabalho e atender as demandas de nossas crianças e de nossa população”, declarou Enzo.

O presidente da Câmara, Jeová Alencar, disse que a criação de mais conselhos era um pedido antigo dos conselheiros. “É uma alegria muito grande para essa casa poder um projeto tão importante e que há muito tempo era solicitado pelos conselheiros. A prefeitura, através desse projeto, contemplou a criação de mais dois conselhos que vão beneficiar cerca de dez conselheiros e quem ganha com isso é a população de Teresina, principalmente, as crianças e jovens da área de risco”, pontuou.

Carlos Alberto Rodrigues, mais conhecido como Kaká, é o primeiro suplente de conselheiro tutelar e falou da importância da criação de mais conselhos. “É fundamental para que essas crianças sujeitas a violações, abuso sexual, possam ser atendidas pelo CREAS, pelo CRAS, pelo CAPS e encaminhadas a tratamentos psicológicos porque o conselho tem essa função de requisitar esses trabalhos”, explicou.

Foto: Alef Leão/GP1Carlos Alberto Rodrigues
Carlos Alberto Rodrigues

“O conselho tutelar é a porta de entrada para que essas demandas possam ser acompanhadas e cheguem ao Tribunal de Justiça, ao Ministério Público e assim, aqueles violadores, agressores possam ser punidos conforme a lei. Por isso é importante que o conselho tutelar faça o encaminhamento e a Justiça dê a resposta através da DPCA, do Ministério Público e do juiz”, completou Carlos Alberto.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.