GP1

Teresina - Piauí

Teresina sobe para a faixa amarela de transmissão da covid, diz FMS

Segundo a FMS, o número de casos registrado foi o maior registrado nas últimas dezenove semanas.

A 26ª semana epidemiológica de 2022, que compreende os dias 26 de junho a 02 de julho, foi marcada pelo registro de um elevado número de notificações de covid-19, com 2.357 casos confirmados, é o que revela a Fundação Municipal de Saúde. Trata-se do maior número registrado nas últimas dezenove semanas, correspondente a 58% do número máximo registrado no pico da onda anterior da doença, ainda no final de fevereiro de 2022.

Contudo, a transmissão da doença parece estar perdendo força, segundo o órgão de saúde. Após o número efetivo de reprodução da covid-19 atingir um valor exorbitante de 4.49, em Teresina, situou-se em 1.14 ao final da 26ª semana epidemiológica. Sob outro ângulo, observa-se que o aumento semanal de casos confirmados chegou a aproximadamente 260% há quatro semanas, mas, entre a 25ª e a 26ª semana, o incremento percentual semanal correspondeu a 9%.

Foto: Lucas Dias/GP1Fundação municipal de Saúde
Fundação municipal de Saúde

Desse modo, ainda que se considere um valor pelo menos 17% maior do número de casos confirmados na semana, em decorrência de resultados positivos ao auto teste e não notificados, Teresina está no nível médio de transmissão, ou seja, na faixa amarela da covid-19.

Para a faixa amarela, a agência internacional para controle e prevenção de doenças recomenda medidas preventivas contidas no Decreto Municipal 22.569, de 13 de junho de 2022, que prevê: a obrigatoriedade do uso de máscara de proteção em locais públicos e privados que prestem serviços na área de saúde, recomenda sua utilização nos ambientes de grande aglomeração de pessoas, abertos ou fechados, e nos locais onde se tenha detectado qualquer pessoa infectada a partir de 1/500.

Internações e número de óbitos

Embora sob ordem de grandeza bem inferior à magnitude de aumento de casos correspondentes (precedentes), o impacto da covid-19 sobre internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) e sobre os óbitos pela doença tornou-se mais evidente na 26ª SE.

As hospitalizações sofreram aumento de 41% em relação à semana precedente e a média-móvel dos óbitos subiu de 1.7 para 2.7 mortes por semana. Por conta do intervalo mediano para agravamento e morte após a confirmação de caso e do caráter cumulativo das hospitalizações decorrente da permanência média prolongada no hospital ou em UTI, a expectativa é que as internações e mortes ainda sofram incremento nas semanas subsequentes – embora sob proporção bem menor que o número de casos, por conta do efeito protetor da imunização sobre agravamento/ óbito.

Testagem

A demanda está baixa por testes RT-PCR em comparação com períodos críticos anteriores, na 26ª semana epidemiológica a taxa de positividade aumentou de 13% para 22%. O maior valor registrado em 2022 foi de 52% de positividade, no mês de fevereiro.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera que a pandemia de covid-19 está sob controle em uma região quando menos de 5% dos testes resultam positivos. Tendo em vista tal aspecto, os valores pontuais de positividade dos testes rápidos de antígeno nas UBSs de Teresina foram ainda maiores.

Recomendações do COE

O Comitê de Operações Emergenciais-- COE Municipal reforça que, para atingirmos níveis mais baixos no número de mortes e hospitalizações, em relação ao número de casos, a vacinação é medida fundamental, tanto em seu esquema primário (para aqueles ainda não imunizados) quanto nas doses de reforço (para aqueles com última dose administrada há mais de 4 meses e com idade/ perfil de risco já contemplados).

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.