GP1

Piauí

Cabo Márcio Vieira assume presidência da ABECS-PI

Ele assumiu a ABECS depois do escândalo envolvendo a gestão do antigo presidente Agnaldo José de Oliveira, preso acusado de estelionato.

Marcelo Cardoso/GP1 1 / 9 Cabo Márcio Vieira sobre nova gestão da Abecs Cabo Márcio Vieira sobre nova gestão da Abecs
Marcelo Cardoso/GP1 2 / 9 Cabo Márcio Vieira Cabo Márcio Vieira
Marcelo Cardoso/GP1 3 / 9 Presidente da Associação dos Cabos e Soldados, Márcio Vieira Presidente da Associação dos Cabos e Soldados, Márcio Vieira
Marcelo Cardoso/GP1 4 / 9 Abecs Abecs
Marcelo Cardoso/GP1 5 / 9 Sala da presidência da Abecs Sala da presidência da Abecs
Marcelo Cardoso/GP1 6 / 9 Estrutura da sala precisa de melhorias Estrutura da sala precisa de melhorias
Marcelo Cardoso/GP1 7 / 9 Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar
Marcelo Cardoso/GP1 8 / 9 Sala da Presidente da Associação dos Cabos e Soldados Sala da Presidente da Associação dos Cabos e Soldados
Marcelo Cardoso/GP1 9 / 9 Situação da sede da Abecs em Teresina Situação da sede da Abecs em Teresina

O cabo Márcio Vieira assumiu a presidência da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e dos Bombeiros do Piauí (Abecs), na última terça-feira (18), depois do escândalo envolvendo a gestão do antigo presidente Agnaldo José de Oliveira, preso acusado de estelionato.

Em entrevista ao GP1, nesta quarta-feira (19), o cabo Márcio Vieira, ressaltou que situação atual da Abecs requer bastante transparência. A sede da associação está com vários problemas, de contas de aluguel a tarifas de água atrasadas.

“Nós estamos fazendo um levantamento ainda, mas o pouco que já foi feito nos deixa um pouco tristes. São várias contas atrasadas, mas isso não vai nos desanimar para a nossa missão, que é levar a Abecs a um patamar mais elevado e isso, com certeza, a gente vai lutar, fazer com que ela funcione verdadeiramente aos sócios”, pontuou.

O presidente relatou ainda que a gestão, que tem ainda dois anos pela frente, antes da próxima eleição, vai trabalhar para tentar reaproximar os policiais da Abesc.

“A nossa assessoria jurídica vai funcionar 24h, não importa a hora que o policial precisar, esse é o nosso grande desafio. Essa nova gestão fez a denúncia [contra o cabo Agnaldo] e se ela fez a denúncia é pelo fato de não ter aceitado os erros da velha gestão. Fizemos a nossa porta, do jeito que não aceitamos na gestão passada, não vamos aceitar nessa aqui também. Nós vamos honrar o nome da instituição”, finalizou.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

MP aponta que cabo Agnaldo desviou mais de R$ 2 milhões da Abecs

Cabo Agnaldo Oliveira é preso após se apresentar na Corregedoria

Juiz determina afastamento do cabo Agnaldo Oliveira de associação

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.