GP1

Piauí

Taiane assume em audiência que era amante de Gabriel Brenno

"Ela reconheceu que teve um relacionamento com a vítima e reconheceu que realmente o David que praticou o homicídio”, afirmou Júnior Torres, assistente de acusação.

Ocorreu na manhã desta segunda-feira (16) a audiência de instrução e julgamento de Deivid Ferreira de Sousa, acusado de executar o estudante Gabriel Brenno Nogueira da Silva Oliveira, de 21 anos, em julho deste ano. A vítima foi baleada na manhã do dia 17 de julho e acabou morrendo no HUT seis dias depois, após ter sido baleado na cabeça.

A juíza Maria Zilnar Coutinho Leal ouviu, além das cinco testemunhas de acusação e outras quatro de defesa, um dos depoimentos mais aguardados no curso do processo, a da jovem Taiane, considerada pivô do crime. Segundo Júnior Torres, assistente de acusação, pela primeira vez ela assumiu o relacionamento extraconjugal, que acabou resultando na morte do estudante Gabriel Brenno.

  • Foto: Brunno Suênio/GP1Deivid Ferreira de SousaDeivid Ferreira de Sousa

“Ela reconheceu o relacionamento, até então isso é um fato novo no processo. Ela reconheceu que teve um relacionamento com a vítima e reconheceu que realmente o David que praticou o homicídio”, afirmou Júnior.

Pizza na pensão

Erlani dos Santos, funcionária da pensão onde Gabriel Brenno morava, foi uma das testemunhas ouvidas na audiência e relatou que Taiane já havia se encontrado com o jovem na pensão.

“O que eu relatei lá foi que ela foi na pensão a procura do Gabriel, a esposa do Deivid, e como ele já estava sabendo que uma pessoa procurava, porque ele já tinha me informado, ele falou que não era para eu abrir a porta. Era somente para eu bater na porta do quarto dele, e foi isso que eu fiz. Quando ela chegou no portão, eu fui bater na porta dele e ele foi abrir e eles entraram para o quarto”, relatou Erlani.

  • Foto: Arquivo PessoalGabriel BrennoGabriel Brenno

A funcionária disse ainda que os dois pediram uma pizza na ocasião. “Logo depois, quando eu estava saindo, chegou aqueles entregadores de pizza e aí eu bati novamente no quarto, ele foi lá e recebeu a pizza. Eu não sei informar por quanto tempo eles passaram lá, porque eu não vi a saída dela. Porque geralmente eu fico lá só até as cinco e enquanto eu estava lá ela não sai”, finalizou Erli.

Confusão

Após prestar depoimento, Taiane tentou agredir Erli e acusou a funcionária de ter mentido em depoimento. “Eu sai da sala e ai eu estava aqui do lado de fora quando ela terminou o depoimento dela, e veio para cima de mim, me agredir, me perguntando várias vezes se realmente eu tinha aberto o portão para ela, isso que aconteceu, não deu nem tempo de eu responder e a soldada que estava perto já veio e ela saiu”, disse.

Acusado foi na pensão

A dona da pensão, dona Maria Helena, confirmou que Deivid foi até a pensão tentar se hospedar. “Ele disse que veio porque estava trabalhando na Med Imagem, na manutenção dos aparelhos e aqui em casa ficava mais próximo, mas eu disse que não, que só hospedava estudante”, contou.

Dona Helena relatou ainda que seu filho, Gilberto teria visto Deivid arrodeando a pensão. “O Gilberto disse que tinha visto uma determinada pessoa arrodeando depois que ele veio a pensão, eu disse que não vi, mas ele disse que tinha uma pessoa toda noite no espetinho de olho. O Gilberto depois atestou que era ele [Deivid]”, finalizou.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

MPF é contra liberdade do acusado de matar Gabriel Brenno

Acusado de matar estudante Gabriel Brenno pede liberdade ao TJ

Família de Gabriel Brenno faz manifestação em frente ao Fórum Criminal

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.