GP1

Piauí

Rafael Fonteles comemora liberação de R$ 800 milhões para o Piauí

De acordo com o secretário de Fazenda, os investimentos serão para todas as 224 cidades do Estado.

O secretário da Fazenda do Piauí, Rafael Fonteles, anunciou na noite desta quarta-feira (25) que foram publicados no Diário Oficial da União os contratos que garantem os recursos do empréstimo de R$ 800 milhões assinado com o Banco do Brasil para o estado.

De acordo com Fonteles, os investimentos serão para todas as 224 cidades do Estado. “São rodovias, obras de mobilidade, de abastecimento d’água e hospitais, entre outras, que estão 100% asseguradas”, escreveu o secretário em sua página no Twitter.

Rafael lembrou ainda que o caso chegou a ser discutido no Supremo Tribunal Federal depois que uma portaria do Ministério da Economia suspendeu o empréstimo. “Lamentamos que algumas autoridades do Piauí trabalharam contra esses recursos, trabalharam contra essas obras, trabalharam contra o povo do Piauí. Mas, a Justiça se fez e impediu esse atentado contra o nosso Estado”, disparou.

Rafael Fonteles negou ainda que o Estado esteja endividado. “Digo e repito: quem apostar contra o Piauí vai perder! Aproveito a oportunidade para derrubar uma fake news que alguns insistem em propagar: o Estado do Piauí está no menor endividamento da sua história (a série histórica comprova isso)”, garantiu.

“Temos crédito de sobra para adiantar obras necessárias para o desenvolvimento do Piauí e há tempos sonhadas pelos piauienses, como a Nova Maternidade de Teresina, o Novo Hospital Regional de Picos, a Adutora do Litoral e a Adutora do Sudeste, as rodovias que ligam Barras a Miguel Alves, São Miguel do Tapuio a Pimenteiras, Curimatá a Morro Cabeça no Tempo, Campo Maior a Coivaras e Jerumenha a Guadalupe, dentre tantas outras obras importantes para o nosso Estado! Viva o Piauí!”, completou o secretário.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.