GP1

Política

Graça Amorim pede punição de vereadores que faltam sessões

“Eu não sou babá de vereador”, disse Graça Amorim ao criticar as constantes faltas de vereadores.

A vereadora Graça Amorim (sem partido) pediu nesta quarta-feira (16) punição aos vereadores que estão faltando sem justificativa nas sessões da Câmara Municipal de Teresina. Ela afirmou que tem parlamentar que mesmo estando na Câmara, não participa das sessões porque está sem paletó.

“Eu não sou babá de vereador”, disse Graça Amorim ao criticar as constantes faltas de vereadores. Nessa quarta-feira ocorreu a segunda votação do projeto de lei de Regularização Fundiária de Teresina, mas não havia vereadores suficientes para a votação o que gerou grande irritação da parlamentar. Na sessão de hoje os faltosos foram: Joaquim do Arroz, Pollyana Rocha, Teresinha Medeiros e Ítalo Barros

  • Foto: Lucas Dias/GP1Graça AmorimGraça Amorim

“São vários vereadores [que faltam]. Não vou citar nomes. Eu pedi ajuda, inclusive o presidente se disponibilizou, porque hoje eu precisei de ajuda para aprovar o projeto de regularização fundiária, projeto importantíssimo da cidade de Teresina, e muitos vereadores da base e da oposição estavam conversando lá fora”, criticou.

Graça Amorim afirmou que a falta dos vereadores é constante e pediu que a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Teresina desconte no salário dos que faltam sem qualquer justificativa. A vereadora explicou que até mesmo a falta de paletó tem sido usada como justificativa.

“O fórum mínimo é de 20 parlamentares e tem dia que tem que tirar de pauta [votação de projeto] porque não tem um parlamentar nessa sala. Então isso não justifica essa Casa não ter quórum. Todos sabem os dias. Tem vereador aqui que não vai para a sessão, mesmo estando aqui, porque está sem paletó. Isso é ridículo. Eu cobrei o cumprimento do regimento interno que diz o número de ausências que o parlamentar pode faltar, mas também vem dizendo que o vereador que faltar sem motivo justificado, sem trazer atestado médico, tem descontado o seu dia de ausência”, explicou.

Ela destacou ainda que “aqui é um trabalho, como a de um trabalhador comum. Se você faltar vão perguntar por que faltou. Se por acaso foi porque não quis vir, porque chegou atrasado, porque não está de paletó, porque não está a fim de trabalhar hoje, pois se não está, que desconte do salário, foi esse o pedido que fiz na Mesa Diretora desta Casa”.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.