GP1

Saúde

Datafolha: 64% dos brasileiros são contrários à demissão de Mandetta

De acordo com o levantamento da Folha, 23% dos entrevistados consideram o trabalho do presidente da República regular, praticamente a mesma marca obtida anteriormente, de 25%.
Por Estadão Conteúdo

Pesquisa Datafolha retrata que 64% dos brasileiros desaprovam a demissão de Luiz Henrique Mandetta do Ministério da Saúde. Para 36%, a ausência do ex-ministro na pasta irá piorar, enquanto para outros 32%, melhorar. Jair Bolsonaro demitiu Mandetta na quinta-feira (16) após semanas de desavenças entre o presidente e seu auxiliar em torno da diretriz das políticas públicas de combate à pandemia do novo coronavírus. O novo ministro é o oncologista Nelson Teich, que tomou posse nesta sexta (17).

De acordo com o levantamento da Folha, 23% dos entrevistados consideram o trabalho do presidente da República regular, praticamente a mesma marca obtida anteriormente, de 25%. Em termos de desaprovação e reprovação, os níveis apurados foram os seguintes: é mais reprovado por mulheres (41%), pelos mais ricos (acima de dez salários mínimos, 48%) e pelos mais instruídos (com curso superior, 46%).

Para 52%, Bolsonaro tem capacidade para continuar liderando o Brasil, enquanto 44% responderam que não. Os homens representam a maioria d (58%)as respostas favoráveis ao presidente.

Embora não seja comparável metodologicamente com levantamentos presenciais anteriores, o índice de apoio a Bolsonaro se assemelha ao verificado na população em geral, "o que tem determinado a atitude intransigente do presidente em relação às suas visões acerca da crise, contrárias à prática internacional no combate ao novo coronavírus", cita a reportagem da Folha.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

'Foi um divórcio consensual', diz Bolsonaro sobre exoneração de Mandetta

Após demissão de Mandetta, São Paulo e Rio registram panelaços

Mandetta agradece equipe e deseja êxito a sucessor como ministro

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.