Fechar
Colunista Brunno Suênio
GP1

Veja as 18 empresas que tiveram as atividades suspensas na Operação Parasitas

A decisão foi assinada pelo juiz da Central de Inquéritos, Valdemir Ferreira Santos.

A Coluna obteve acesso, com exclusividade, aos nomes das 18 lojas que tiveram a suspensão das atividades econômicas determinada pelo Poder Judiciário, no âmbito da Operação Parasitas, deflagrada nessa quarta-feira (15) pela Superintendência de Operações Integradas da Secretaria de Segurança Pública do Piauí, que investiga uma fraude milionária envolvendo emissão de notas fiscais frias.

São elas: Aps Motos; Multcar/Aps; Car Diesel; Multcar Diesel; L. G de Carvalho Silva Ltda; Alex Fabrício de Brito Silva; RN Mangueiras e Parafusos; CM Tratores Comercio de Peças; Eletro Truck; Carneiros Auto Peças; Centro Diesel; Cabral Auto Center; Atacadão das Mangueiras e Parafusos; Jr Truck; LH Representações; LP Auto Peças; Connectrack e Atacadão dos Parafusos.

Foto: Alef Leão/GP1Alvo da Operação Parasitas
Alvo da Operação Parasitas

As investigações, capitaneadas pelo delegado Yan Brayner, apontaram para a existência de uma verdadeira associação criminosa que funcionava com o claro desejo de lesar empresas com grandes frotas, emitindo notas frias e superfaturadas, para execução de serviços de manutenção dos veículos, causando um prejuízo estimado em mais de R$ 3 milhões.


Para isso, o líder do esquema, identificado como Ivan Borges da Silva Júnior, que foi preso durante a operação, passou a envolver ex-funcionários das empresas vítimas e lojistas do mercado do ramo de autopeças, que passaram a integrar o esquema fraudulento.

Rapidinhas

Juiz mandou prender quem descumprir ordem

Na decisão que determinou a suspensão das atividades econômicas das 18 empresas, o juiz da Central de Inquéritos, Valdemir Ferreira Santos, deixou claro que eventual descumprimento da medida pode acarretar em prisão dos responsáveis legais das lojas, que deverão permanecer fechadas até o final das investigações.

Operação Contrassenso

A Polícia Federal identificou uma fraude na inserção de dados falsos no sistema EducaCenso, do Ministério da Educação, no município de Santa Quitéria-MA, e prendeu a Secretária de Educação Municipal, Yara Raquel Monte Coelho Correa, além do Chefe do Departamento do Censo Escolar.

Foto: Reprodução/WhatsAppYara Raquel Monte Coelho Correa
Yara Raquel Monte Coelho Correa

Município foi campeão no número de matrículas

A investigação apontou o aumento de 1.439% na quantidade de matrículas de estudantes na modalidade Educação de Jovens e Adultos - EJA, entre os anos de 2020 e 2021, o que teria resultado no recebimento indevido por parte do município de cerca de R$ 100 milhões (cem milhões de reais) em repasses do FUNDEB em 2022.

Servidores foram afastados das atividades públicas

Por determinação da Justiça Federal, a Secretária de Educação Municipal de Santa Quitéria, o Chefe do Departamento do Censo Escolar, o Secretário de Administração e o pregoeiro foram afastados das funções públicas.

PF está de olho nas prefeituras do Piauí

Fonte do alto escalão da Polícia Federal no Piauí revelou à Coluna que há prefeituras piauienses na mira do órgão, que está de olho na farra com o dinheiro público no interior do Piauí.

Foto: Alef Leão/GP1Agentes da Polícia Federal em campo
Agentes da Polícia Federal em campo

A exemplo da secretária de Educação presa no Maranhão, por aqui uma operação deve fazer barulho!

*** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do GP1

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.