GP1

Brasil

Escolas municipais vão reabrir dia 1º de fevereiro em São Paulo

Unidades poderão receber até 35% dos estudantes inicialmente; autorização vale para rede privada e municipal.
Por Estadão Conteúdo

A Prefeitura de São Paulo vai liberar a abertura de escolas no dia 1º de fevereiro. O Estadão apurou que a Prefeitura vai anunciar nesta quinta-feira, 14, a autorização para abertura dos colégios na capital inicialmente com 35% da capacidade das escolas.

A rede privada será liberada para aulas regulares já no dia 1º e a rede municipal deve começar com atividades de acolhimento emocional aos estudantes.

Desde que assumiu a gestão, o novo secretário da Educação, Fernando Padula, se empenhou na reabertura dos colégios e conversou com grupos de pais, pediatras, cientistas e educadores para embasar o retorno à escola. A decisão foi tomada pelo próprio prefeito, Bruno Covas (PSDB).

Em coletiva de imprensa, o secretário de Saúde, Edson Aparecido, disse que não há evidências suficientes de que as crianças sejam índices para a transmissão da covid-19. "A observação das taxas de internação e óbitos revela taxas baixas que se mantiveram consistentes para essa faixa etária, mas foi preciso que a gente tivesse longo tempo de análise e observação."

"A vigilância sanitária recomenda o retorno escolar seletivo para toda a rede de ensino, com a capacidade de 35% desses equipamentos a serem ocupados. É possível que todas as unidades voltem a funcionar, mas com capacidade máxima de 35%."

Aparecido destacou que a Prefeitura vai fazer o monitoramento em escolas sentinelas. "Vamos escolher na área das 28 unidades de vigilância sanitária uma escola que será acompanhada e teremos todos os dados de alunos, funcionários e pais. Essa escola será referência para nós naquele território", disse.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.