GP1

Brasil

Malafaia pressiona Ciro Nogueira para aprovação de André Mendonça no STF

Jair Bolsonaro indicou Mendonça no dia 13 de julho, mas ele precisa passar por uma sabatina no Senado.

O pastor Silas Malafaia gravou um vídeo nessa sexta-feira (08) criticando a demora para aprovação do nome André Mendonça, ex-advogado-geral da União, para assumir uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). No vídeo, o líder evangélico manda um recado para Ciro Nogueira, cobrando uma atitude por parte do ministro-chefe da Casa Civil.

Malafaia inicia o vídeo criticando duramente o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal, o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), a quem ele chamou de inescrupuloso.

“Estou há 90 dias calado, vendo a safadeza contra a indicação de André Mendonça para o Supremo Tribunal Federal, nunca aconteceu isso na história do Brasil com um indicado do presidente da República, isso tudo capitaneado pelo inescrupuloso senador Davi Alcolumbre”, disparou o líder religioso.

O pastor deu um ultimato ao ministro Ciro Nogueira e ao senador Fernando Bezerra Fernando Bezerra (MDB-PE), líder do Governo no Senado. Malafaia afirmou que não adianta tentarem fazer “jogo por debaixo dos panos” para barrar o nome de André Mendonça.

“Queria aproveitar e mandar uma mensagem também para o ministro Ciro Nogueira e pro líder do governo, Fernando Bezerra, que ninguém vai enganar a comunidade evangélica, e que não adianta jogo debaixo dos panos pra botar alguém de interesses, porque não vai dar certo, porque se tentarem barrar o André Mendonça, vai ter um outro que seja terrivelmente evangélico, e não vão ser vocês que vão dizer se A ou B é terrivelmente evangélico, essa que é a verdade”, enfatizou.

Indicação de Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro indicou André Mendonça formalmente no dia 13 de julho, no entanto, ele precisa passar por uma sabatina no Senado para então ser aprovado e assumir a vaga no STF.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.