GP1

Coronavírus no Piauí

Sociedade de Terapia Intensiva alerta Sesapi: "não temos mais profissionais"

"Infelizmente, não temos mais profissionais e não temos como formar intensivistas de forma emergencial", diz trecho do comunicado do SOTIPI ao secretário Florentino Neto.

A Sociedade de Terapia Intensiva do Piauí (SOTIPI), comunicou ao secretário de saúde do Piauí, Florentino Neto, neste sábado (20), que a demanda de leitos de UTI para pacientes infectados pela covid-19 em estado grave, tanto na rede publica quanto privada de saúde, chegou a níveis impossíveis de serem atendidos.

O comunicado foi feito por meio de nota e direcionado tanto ao secretário Florentino Neto, quanto ao Comitê de Operações Especiais (COE). “Desta forma não nos é possível curar ou cuidar e nem mesmo aliviar o sofrimento de quem precisa!”, disse a SOTIPI em trecho da nota.

Além da escassez dos leitos, que em vários municípios já consta com 100% de ocupação, medicamentos, equipamentos, profissionais e insumos também estão em falta, o que caracteriza um colapso na saúde do estado.

“É de extrema importância esclarecer que mesmo o acréscimo dos leitos, equipamentos e insumos, sem que se tenha equipes capacitadas para o atendimento desses pacientes, não será capaz de diminuir a mortalidade. Infelizmente, não temos mais profissionais e não temos como formar intensivistas de forma emergencial. Também não podemos esperar vacinação eficaz em pouco tempo”, lamentaram em nota.

Com isso, no documento, a SOTIPI pede que sejam estabelecidas medidas que restrinjam a circulação de pessoas por 14 dias, além das medidas de segurança básicas necessárias. Segundo a Sociedade de Terapia Intensiva, para que pacientes tenham chances de sobreviver é preciso sair da situação de colapso na saúde.

Confira aqui o comunicado.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.