GP1

Eleições 2022

Wellington Dias espera que PSD siga na base aliada em 2022

O deputado Júlio César (PSD) afirmou em entrevista que não fecha as portas completamente para a oposição.

Diante da possibilidade do PSD deixar a base e migrar para a oposição, o governador Wellington Dias (PT) afirmou nessa sexta-feira (27) que espera que os deputados Júlio César e Georgiano Neto permaneçam na base aliada para as eleições de 2022.

Em recente entrevista ao GP1, Júlio César reforçou interesse em permanecer ao lado de Wellington, mas destacou que não fecha as portas completamente para a oposição.

Foto: Marcelo Cardoso/GP1Governador Wellington Dias
Governador Wellington Dias

“Temos todo carinho não só pelo que já trabalhamos juntos, mas pela posição firme, na política com o PSD, tanto o deputado Júlio César e o Georgiano Neto. A participação do PSD, assim como de outros partidos na chapa majoritária, vamos tratar no momento certo, em 2022 vamos tratar com todo carinho. É só o que eu quero [que o PSD continue na base]”, afirmou Wellington.

Chapa majoritária

O PSD pleiteia a vaga de vice do pré-candidato ao governo Rafael Fonteles. O MDB, também aliado do governo, pretende indicar o deputado Themístocles Filho para a vaga. Até o momento o governador Wellington Dias não confirmou quem irá assumir o posto.

Na oposição, no entanto, o deputado Júlio Arcoverde já informou que a chapa será montada com os nomes de Iracema Portella e Sílvio Mendes, deixando em aberto a vaga de candidato a senador, que deve ser para alguém que decidir deixar o governo petista.

Aproximação com Ciro Nogueira

Na última quarta-feira (25) o deputado Júlio César levou uma caravana de prefeitos a Brasília para visitar Ciro Nogueira. Nas redes sociais, o ministro-chefe da Casa Civil afirmou que conversou com o presidente do PSD sobre a possibilidade de trabalharem juntos em prol do estado.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.