GP1

Entretenimento

Teatro faz homenagem a cineasta do Piauí

Os filmes foram exibidos na última segunda-feira no Espaço Cultural Trilhos

Neste domingo, dia 13, o Teatro Municipal João Paulo II faz uma homenagem ao cineasta Alan Sampaio com uma mostra de produções do artista. Serão três filmes exibidos a partir das 20h, com entrada franca. Os filmes foram exibidos na última segunda-feira no Espaço Cultural Trilhos e voltam a ficar em cartaz, desta vez no Teatro Municipal. Entre as diversas produções de Alan, foram escolhidos três curtas: "Alguns são Assim"; "Cine Rex, O Filme"; e " Um Homem sem uma Câmera". O filme "Alguns são Assim", de 2005, trata de pequenas situações de dois amigos de infância, em níveis sociais diferentes, que mesmo assim continuam amigos e vivem conflitos de cultura e radiação. O curta "O Cine Rex e Nós", de 2005, retrata a paixão do cineasta pela antiga sala de cinema de Teresina, hoje transformada em casa de shows. O filme, de 12 minutos, trata de uma produção independente das produtoras Jef Filmes e Darma Filmes, feito de forma simples e alternativa, nos moldes do cinema-novo brasileiro, da nouvelle vague francesa e do cinema em Super-8 do Piauí da década de 70. Já o filme "Um Homem sem uma Câmera", última produção de Alan, contou com apoio da Associação de Documentaristas do Piauí e da Prefeitura Municipal de Teresina, através da Fundação Cultural Monsenhor Chaves. Trata-se de uma tragicomédia baseada em fatos reais, contando a história de um jovem apaixonado por cinema que tenta fazer seu primeiro filme, mas não consegue arranjar uma câmera emprestada. O roteiro trata sobre as dificuldades para se produzir cinema no Piauí e discute também o processo de criação cinematográfica de um diretor de cinema. Além disso, faz uma homenagem ao filme russo de 1929; "Um homem com uma Câmera", do diretor Dziga Vertov, um dos revolucionários da linguagem da sétima arte. Alan Sampaio, dizia-se apaixonado por cinema desde os 10 anos de idade. Em 1998 começou a produzir filmes em VHS com os amigos do bairro. Aos 18 anos preparou curtas mais "sérios", participando de festivais e mostras de cinema em Teresina. Em 2004 ganhou o prêmio de melhor documentário na mostra nacional de imagem e som, no 8º Congresso Folkcomunicação, realizado em Teresina. Alan era sócio-fundador da ABD-PI (Associação Brasileira de Documentaristas do Piauí) e já estava com 12 filmes realizados no Piauí, sendo 3 documentários, 8 filmes de ficção e um longa-metragem experimental sobre a capital, chamado"Cinestesia em Teresina", que foi lançado no Teatro Municipal João Paulo II em agosto de 2006. Alan Sampaio era coordenador da oficina "A formação do olhar cinematográfico", com aulas gratuitas para jovens e adultos no Teatro do Boi, espaço mantido pela Prefeitura de Teresina, através da Fundação Cultural Monsenhor Chaves. Ele era, também, um dos coordenadores do Festival de Filmes de 60 Segundos, promovido pela FCMC, que teve a primeira edição em 2007.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.