Fechar
GP1

Esportes

Morre aos 87 anos o jornalista e ex-técnico do Flamengo Apolinho

Ele estava internado no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, onde tratava de um câncer.

O ex-técnico do Flamengo e jornalista, Washington Rodrigues, conhecido como o Apolinho morreu na noite dessa quarta-feira (15), aos 87 anos. Ele estava internado no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, onde tratava de um câncer.

O Apolinho ficou conhecido por suas emblemáticas expressões populares, como: “Pinto no Lixo” e “Briga de cachorro grande". Ele também chegou a comandar o seu time do coração, o Flamengo, em 1995, ano do centenário do clube, a convite do então presidente do clube, Kleber Leite.

Foto: Reprodução/XWashington Rodrigues, o Apolinho, morre aos 87 anos
Washington Rodrigues, o Apolinho, morre aos 87 anos

Sob o comando da equipe carioca, ele conquistou o vice-campeonato da Supercopa Libertadores. Três anos depois, o Apolinho chegou a retornar ao Flamengo, como diretor de futebol em 1998, novamente a convite do presidente Rubro-Negro.

Em sua carreira jornalística, Washington Rodrigues ficou marcado pela sua linguagem popular, que rapidamente conquistou os ouvintes. Ele passou pela Rádio Globo e Super Rádio Tupi, e foi apelidado como Apolinho por conta de seu microfone, em alusão aos equipamentos usados pelos astronautas.

Nas redes sociais, o Flamengo prestou condolências à família e amigos de Apolinho. Além disso, relembrou momentos marcantes do jornalista durante a narração do gol de Petkovic. “Perdemos um dos maiores comunicadores do esporte nacional. Washington Rodrigues, o Apolinho, nos deixou nesta quarta-feira. Em décadas de carreira, moldou a forma como vivemos o futebol. Criou expressões inesquecíveis - é impossível lembrar do Gol do Pet em 2001 sem lembrar do aviso que "acaba de chegar São Judas Tadeu".

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.