Teresina - PI

Advogado diz que operação da PF em União é perseguição política

“É uma surpresa, até porque não temos nada a esconder", diz advogado de defesa Luan Amorim sobre a operação da Polícia Federal.

Bárbara Rodrigues
Teresina
Brunno Suênio
Teresina
Nathalia Carvalho
Teresina
- atualizado

O advogado Luan Amorim, que faz a defesa da empresa Lucyvaldo A Piauilino ME – LU Distribuidora, em entrevista ao GP1 nesta quinta-feira (13), negou envolvimento da empresa em qualquer irregularidade após a Polícia Federal deflagrar a Operação NaClo.

A Polícia Federal cumpriu seis mandados de busca e apreensão e apura possíveis desvios de recursos federais que deveriam ter sido aplicados no combate a pandemia do novo coronavírus (covid-19) no município de União.

  • Foto: Alef Leão/ GP1Advogado Luan Moreira Advogado Luan Amorim

Um dos mandados de busca e apreensão foi cumprido na LU Distribuidora, localizada em Teresina, com o objetivo de colher provas para a investigação. O advogado de defesa Luan Amorim afirmou que a empresa não tem nada a esconder e disse que o caso se trata de uma perseguição política.

“É uma surpresa, até porque não temos nada a esconder. São supostas irregularidades, ao meu ver se trata de uma perseguição política porque os valores são escolhidos devidamente de acordo, sempre procuramos as melhores propostas”, explicou.

Luan Amorim disse que a investigação da Polícia Federal vai mostrar que não existe qualquer irregularidade. “Vai ficar esclarecido que aqui se trata apenas de uma atividade policial, ao longo do procedimento vai ficar verificado que não existem irregularidades. Todas as empresas são regionais e temos contrato tanto com o município como com o estado, não há irregularidades”, afirmou o advogado.

Confira abaixo a nota de esclarecimento na íntegra:

NOTÍCIA RELACIONADA

Covidão: Polícia Federal cumpre mandados na Prefeitura de União