Floriano - PI

Anderson Kamar promete novos reforços ao Cori-sabbá até julho

Anderson Kamar revelou que impasses na liberação dos laudos exigidos pela Federação de Futebol do Piauí atrasam o desenvolvimento do clube para a disputa.

Jonas Carvalho
Teresina
- atualizado

Na tarde da última terça-feira (25), o Cori-sabbá oficializou participação na série B do Campeonato Piauiense 2019. O clube não disputava a competição desde o ano de 2016 e pretende oficializar os novos reforços até a primeira quinzena de julho.

Em entrevista ao GP1, o presidente da Águia, Anderson Kamar, revelou que impasses na liberação dos laudos exigidos pela Federação de Futebol do Piauí atrasam o desenvolvimento do clube para a disputa.

“O Cori-ssabá hoje está apto para disputar a competição, já fizemos o ato da inscrição e a pendência que eu tenho hoje em Floriano é na liberação dos laudos. Não depende de mim, depende do poder público, que está tomando providência sobre isso. Hoje a minha preocupação está sendo essa aí e o poder público ficou de estar fazendo esse trabalho e a gente dá continuidade em busca de recursos”, revelou Anderson.

Novos reforços

Questionado sobre possíveis nomes, o presidente preferiu cautela. Conforme Anderson Kamar, os reforços para a segundona podem chegar até o dia 15 de julho.

“Os nomes não estão sendo divulgados por conta do mercado. Está sendo cuidado tudo internamente, mas a gente vai oficializar. Jogadores mesmo de dentro do futebol do Nordeste. O único nome que pode vir de outro estado é o nome do treinador. Estamos conversando nesse primeiro momento para ver quem vai ser nosso comandante, são treinadores que conhecem o nosso futebol”, informou.

Débito quitado

Em débito com a Federação de Futebol Piauiense (FFP), o Alvinegro de Floriano precisou desembolsar um montante de R$ 4 mil. De acordo com o presidente da agremiação, o valor debitado é referente a anuidade cobrada pela FFP que não foi quitada devido a troca de cadeiras realizada no clube que levou Anderson à presidência da equipe em 2019.

“É uma taxa de anuidade que todos os clubes de futebol pagam a CBF e o Cori-sabbá não tinha pago devido a transição de gestão e nós tivemos agora que pagar para nós estarmos aptos. Agora, não é só essa taxa da CBF de R$ 2,5 mil, existe uma taxa da federação também que é de R$ 1,5 mil e ontem mesmo já foi negociado”, completou Anderson.

Mais conteúdo sobre: