Teresina - PI

Coronel Carlos Augusto admite 'equívoco' em abordagem de PM's

Segundo o coronel Carlos Augusto, casos como estes devem ser justificados por meio de ações.

Nayrana Meireles
Teresina
Thais Souza
Teresina
- atualizado

O comandante-geral da Polícia Militar do Piauí, coronel Carlos Augusto, admitiu em entrevista ao GP1 nesta quarta-feira (27), que houve ‘equívocos’ por parte dos policiais militares em três casos de grande repercussão envolvendo a membros da corporação nos últimos três meses.

No dia 31 de outubro deste ano, o capitão Allison Wattson, lotado no 8º Batalhão, foi preso após matar a estudante Camilla Abreu com um tiro no rosto e esconder o corpo da jovem e um matagal no povoado Mucuim, entre Teresina e Altos.

Na última quinta-feira (21), dois policiais militares do 5ª Batalhão tiveram a prisão decretada após o sumiço de R$ 300 mil durante uma tentativa de assalto ao Banco do Nordeste. No mesmo dia, o comandante e subcomandante do batalhão foram afastados dos cargo.

Nessa terça-feira (26), Emíle Caetano da Costa, de 9 anos, morreu após ser atingida com dois tiros durante uma abordagem da Polícia Militar aos ocupantes de um veículo modelo Renault Clio, ocorrida na noite de segunda-feira (25), na Avenida João XXIII, zona leste de Teresina. Os dois policiais que efetuaram disparos foram autuados e levados para o Presídio Militar.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Coronel Carlos AugustoCoronel Carlos Augusto

Segundo o coronel Carlos Augusto, casos como estes devem ser justificados por meio de ações. “Mais do que palavras, eu tinha que tomar providências e foi o que nós fizemos em relação a todos esses grandes equívocos que ocorreram no final deste ano. São três ocorrências que não dignificam e que não representam a grandeza da Polícia Militar, do que salvamos nas ruas todos os dias. Nós somos pagos e capacitados pela sociedade para salvar vidas. Como comandante, o que aconteceu é algo que me entristece bastante, mas que nos faz refletir”, afirmou.

De acordo com o comandante, a maioria dos policiais já passaram por capacitações durante a sua gestão à frente da PM. “Desses três anos que estou à frente da Polícia Militar, dos seis mil homens e mulheres que temos, mais de 4500 já passaram pelos bancos escolares, sendo capacitados. Em relação a esses fatos que aconteceram, fizemos ações imediatas, para que não tenha dúvida por parte da sociedade, que as providências serão tomadas”, disse.

Em relação as ocorrências que envolvem o 5ª batalhão, o comandante ressaltou que está sendo realizado um acompanhamento dos policiais que permanecem atuando. “Como comandante, nós temos o dever de fazer um acompanhamento mais próximo do 5º batalhão. Já mandamos trocar o comando para fazer o acompanhamento individualizado das ações. O major Pessoa foi afastado para que não haja nenhuma dúvida que todas as apurações serão feitas no vigor da lei”, ressaltou.

O secretário de Segurança, capitão Fábio Abreu, disse que melhorias serão feitas. "Nós vivemos em um contexto de muito estresse e o que nós estamos buscando fazer é qualificar os nosso profissionais, atualizando os conhecimentos e procurando uma estrutura melhor para eles", afirmou.

Entenda o caso de Camilla Abreu

A estudante de direito, Camilla Abreu, desapareceu no dia 26 de outubro. Ela foi vista pela última vez em um bar no bairro Morada do Sol, na zona leste de Teresina, acompanhada do namorado e capitão da PM, Allisson Wattson. Após o desaparecimento, o capitão ficou incomunicável durante dois dias, retornando apenas na sexta-feira (27) e afirmou não saber do paradeiro da jovem.

A Delegacia de Homicídios, coordenada pelo delegado Barêtta, assumiu as investigações. O capitão foi visto em um posto de lavagem às margens do Rio Parnaíba, a fim de lavar seu carro sujo de sangue. Allisson disse ao lavador de carros que o sangue era decorrente de pessoas acidentadas que ele havia socorrido.

  • Foto: FacebookAllisson e Camilla AbreuAllisson e Camilla Abreu

Na tentativa de ocultar as provas do crime, o capitão trocou o estofado do veículo e tentou vendê-lo na cidade de Campo Maior, mas não conseguiu pelo forte cheiro de sangue que permanecia no carro.

Durante investigação, a polícia quis periciar o carro, mas Allisson disse ter vendido o veículo, mas não lembrava para quem. No dia 31 de outubro, o delegado Francisco Costa, o Barêtta, confirmou a morte da jovem. Já na parte da tarde, Allisson foi preso e indicou onde estava o corpo da estudante.

Na manhã de 1º de novembro, o corpo da estudante foi enterrado sob forte comoção no cemitério São Judas Tadeu. Laudocadavérico da estudante Camilla Abreu concluiu que a jovem foi arrastada antes de morrer.

Relembre a tentativa de assalto ao Banco do Nordeste

Na última terça-feira (19), a tesoureira do Banco do Nordeste, Marlene Portela, foi sequestrada e sua família foi feita refém. A bancária foi abordada na porta de casa, no bairro Aeroporto, na zona norte da capital, e levada para a agência bancária, da Avenida João XXIII, enquanto seus familiares foram feitos reféns.

Os reféns foram liberados na estrada da Santa Teresa. Ninguém ficou ferido.

O suspeito que estava com a vítima foi preso com uma cesta cheia de dinheiro. Os outros comparsas, que o esperavam dentro de um carro, modelo Nissan Versa, de cor cinza, conseguiram fugir.

Ainda na noite do crime, os dois policiais foram presos, por medida disciplinar e administrativa, na Corregedoria da PM, após cometerem erros no procedimento da ocorrência sobre a tentativa de assalto ao banco.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Major PessoaMajor Pessoa

No dia seguinte, o comandante e subcomandante do 5º BPM, major Flávio Pessoa e major Nivaldo, foram afastados após decisão conjunta do Comando Geral da Polícia Militar do Piauí.

Os motivos do afastamento foram os mesmos da prisão dos dois policiais do 5º Batalhão, que estavam sob responsabilidade do Major Pessoa.

Relembre o caso da morte de criança de 9 anos

Emilly Caetano da Costa, de 9 anos de idade, morreu ao ser atingida com dois tiros durante uma abordagem da Polícia Militar aos ocupantes de um veículo modelo Renault Clio, ocorrida na noite dessa segunda-feira (25), na Avenida João XXIII, zona leste de Teresina. Além da criança, os pais foram baleados dentro do carro. Os pais foram identificados como Evandro da Silva Costa, de 31 anos, cantor sertanejo, que foi atingido de raspão na cabeça, e Dayanne Caetano, de 26 anos, também atingida de raspão, no braço. Também estavam no veículo duas irmãs menores da vítima, uma de 8 anos e outra de 8 meses, que estava no colo da mãe.

  • Foto: Facebook/Dayanne EvandroEmíle foi morta durante abordagem policial Emíle foi morta durante abordagem policial

No mesmo dia os policiais do 5ª batalhão, cabo F. Soares e soldado Dornel, responsáveis pela abordagem, foram presos e encaminhados para o Presídio Militar, onde aguardam julgamento.