Teresina - PI

Homem acusado de assassinar esposa é preso no Povoado Soinho

O comandante do 5º Batalhão da Polícia Militar, coronel Galvão, informou que o acusado foi preso no Povoado Soinho por volta de 15h45.

Davi Fernandes
Teresina
Brunno Suênio
Teresina
- atualizado

Um homem identificado como Francisco das Chagas Pinheiro dos Santos, acusado de assassinar a esposa no bairro Socopo, foi preso na tarde desta terça-feira (04), por volta de 15h45, no Povoado Soinho, na zona leste de Teresina.

O comandante do 5º Batalhão da Polícia Militar, coronel Galvão, informou ao GP1, que após ter cometido o crime o acusado fugiu a pé. “Uma viatura do 5º Batalhão realizou diligências na localidade e o encontrou no Povoado Soinho, ele fugiu da residência a pé após ter cometido o crime e agora está sendo levado para Central de Flagrantes”, informou o comandante.

Crime

Marlúcia Jacobe dos Santos, 43 anos, foi assassinada com várias facadas, no início da tarde desta terça-feira (04), no bairro Socopo. O suspeito é o próprio marido, Francisco das Chagas, mais conhecido como Chico Tampinha, 51 anos. O casal tem três filhos.

Conforme o delegado do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Robert Lavor, o acusado chegou na residência por volta de 12h. “A equipe ao chegar ao local se deparou com a vítima e alguns familiares. Dentro do terreno são três casas de três irmãos e a primeira casa era a da vítima. As informações são que o esposo chegou por volta de 12h, ocorreu uma discussão, tinha um bebê dentro da casa, ainda não sabemos ao certo o que ocorreu e em seguida ele desferiu os golpes de arma branca na vítima. Encontramos o corpo da vítima na sala e o perito está realizando o levantamento e verificando quantas facadas a vítima sofreu e outra parte da perícia vai investigar elementos no local que podem ajudar na investigação”, informou o delegado.

Relato dos vizinhos

Uma vizinha do casal relatou que o acusado era depressivo e ciumento. Ela conta que era comum haver briga entre os dois. "Um dia ele estava alegre, no outro triste, era depressivo. Mas, ele era bom, um bom pai, ela uma boa mãe. Ele era muito ciumento, mas depois não ouvimos mais nada. Eles eram assim, brigavam, mas depois estavam bem", declarou", afirmou a mulher.

Outra vizinha identificada como Ana Lúcia afirmou que quando chegou à casa já encontrou Marlúcia morta. "Quando cheguei ela já estava morta, foi uma filha dela que me chamou. Não sabia como era a convivência dos dois, mas ela era uma pessoa que todo mundo da comunidade conhecia e gostava dela, ele também. Não encontramos mais ele, só ela morta".

Marlúcia trabalhava como garçonete na pizzaria Ice Cream, localizada na Avenida Presidente Kennedy e Chico é vigia na Funaci (Fundação Padre Antônio Dante Civiero). Uma irmã da vítima relatou que Marlúcia já havia conversado com o marido que queria a separação.

A DHPP vai ficar responsável pela investigação do caso.

NOTÍCIA RELACIONADA

Mulher é morta no bairro Socopo e suspeito é o próprio marido