Teresina - PI

Kleber Montezuma rebate críticas e diz que PF nunca foi à Semec

O secretário afirmou que não tem nada a temer e ainda comentou o fato da Polícia Federal já ter feito operações contra a Secretaria Estadual de Educação (Seduc).

Bárbara Rodrigues
Teresina
Germana Chaves
Teresina
Willyam Ricardo
Teresina
Liane Cardoso
Teresina
- atualizado

O secretário municipal de Educação, Kleber Montezuma, participou na manhã dessa quarta-feira (9) de uma audiência na Câmara Municipal de Teresina para tratar sobre a licitação que está sendo realizada para o transporte escolar rural. A vereadora Graça Amorim foi quem convidou o secretário para esclarecer sobre a licitação.

A audiência tinha sido bastante reivindicada pelo vereador Dudu (PT), que chegou a apresentar um requerimento pedindo a audiência, mas foi negado pela maioria dos vereadores. Na ocasião, o vereador chegou a questionar o que a prefeitura teria a esconder. Kleber Montezuma afirmou que não tem nada a temer e ainda comentou o fato da Polícia Federal já ter feito operações contra a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) na atual gestão petista, o que não aconteceu com a Semec.

  • Foto: Alef Leão/GP1Kleber MontezumaKleber Montezuma

“Se tem uma secretaria que trabalha com lisura, respeita o dinheiro público, transparência, praticando os preços mais baixos, se chama Secretaria Municipal de Educação. Na secretaria a Polícia Federal nunca foi, como já aconteceu na secretaria de certos vereadores que falam aqui dentro. No Palácio da Cidade a Polícia Federal nunca foi, como já aconteceu no Palácio de Karnak de certos vereadores. Então a diferença é muito grande, porque nós fazemos as coisas com lisura e respeito ao dinheiro público, e nós defendemos o interesse público, nós não vamos nos aliar com quem está defendendo interesse privado, com quem está querendo tirar proveito privado, levantando certas questões que a gente sabe que não existe”, afirmou.

Ele destacou que seu objetivo é tirar as dúvidas. “Não há nenhum problema um vereador fazer a crítica, está no direito dele, e nós temos obrigação de esclarecer. Então eu venho aqui a convite da vereadora Graça Amorim, com a consciência tranquila e com respeito a todos os vereadores, porque eles têm o direito, são vereadores, são quem representam a cidade, eles têm direito de perguntar, criticar, questionar, pedir esclarecimento. E eu como gestor público tinha obrigação de vir, e estou aqui cumprindo minha obrigação”, disse o secretário de Educação.

Oposição faz críticas

Dudu Borges comentou as declarações de Montezuma de que a Polícia Federal nunca foi a Semec, diferente do que aconteceu com a Seduc. “Primeiro, nós temos que tratar com respeito as instituições seja elas quais forem, até as policiais também merecem respeito. Eu defendo que quem comete ato ilícito pague pelo ato que cometeu, seja ele qual for, do meu governo, de outro, do meu partido, de outro. Eu defendo de que quem trabalha com dinheiro público tem que prestar conta sempre. Nós vamos continuar cobrando aqui do secretário de Educação do município, do de Saúde, de todos. É nosso papel, recebo de dinheiro por isso, assim como eles também. E queremos aqui continuar tratando desse jeito”, explicou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Vereador Dudu Vereador Dudu

Questionado se acredita que o secretário Kleber Montezuma está incomodado com os questionamentos, o vereador Dudu Borges disse que é o seu papel pedir esclarecimentos.

“Eu não vou falar de incômodo de ninguém, até porque não tenho medo de polícia; segundo, quem errou que pague; terceiro, quem tiver nervoso que tome remédio; quarto, o papel da câmara é fiscalizar e vai fazer; quinto, eu sou vereador eleito e estou eleito pelo braço do povo de Teresina, que livremente me elegeu assim como elegeu o prefeito Firmino Filho. E vamos continuar dessa forma. Quem estiver com disparidade ou com questionamentos outro, que se explique, não é o meu caso”, disse.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Dudu critica vereadores após requerimento ser rejeitado na Câmara

Dinheiro desviado da Seduc-PI dava para comprar 200 ônibus, diz PF

PF apura desvio de R$ 50 milhões em dois contratos da Seduc-PI

Francisco Limma diz que operação da PF teve “exagero midiático”

Mais conteúdo sobre: