Teresina - PI

Major Pessoa não tem ligação com o sumiço dos R$ 300 mil do BNB

O coronel Carlos Augusto explicou que o inquérito sobre o caso já foi finalizado, e até o momento não existe nada que ligue o major Pessoa com o desaparecimento do dinheiro.

THAIS SOUZA
DE TERESINA
- atualizado

O comandante geral da Polícia Militar, coronel Carlos Augusto, contou na manhã desse domingo (21), durante entrevista ao GP1, que o ex-comandante do 5° Batalhão, major Pessoa, não tem nenhuma ligação com o sumiço dos R$ 300 mil, na ocorrência da tentativa de roubo da agência do Banco do Nordeste, na zona leste de Teresina.

O coronel Carlos Augusto explicou que o inquérito sobre o caso já foi finalizado, e que não existe nada que ligue o major Pessoa com o sumiço do dinheiro, porém, ressaltou que ainda existem diligências para serem realizadas. “O comandante do 5° [major Pessoa] não tem relação com o caso. Mas, ele não vai voltar para o posto, pois achamos por bem manter assim. Porém, as investigações continuaram”, explicou o comandante geral.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Major PessoaMajor Pessoa

Relembre o caso

A gerente e tesoureira Marlene Portela, do Banco do Nordeste da Avenida João XXIII, foi sequestrada e sua família feita refém na manhã do dia 19 de dezembro de 2017. A bancária foi abordada na porta de casa, no bairro Aeroporto, na zona norte da capital, e levada para a agência, enquanto seus familiares foram feitos reféns.

A polícia foi acionada por populares e chegou no momento em que a mulher saía do banco. O suspeito que estava com a vítima foi preso com uma cesta cheia de dinheiro. Os outros comparsas, que o esperavam dentro de um carro, modelo Nissan Versa, de cor cinza, conseguiram fugir.

Dois cabos do 5° Batalhão da Polícia Militar foram presos, por medida disciplinar e administrativa, após cometerem erros no procedimento da ocorrência sobre a tentativa de assalto.