Teresina - PI

Nonato Castro diz que dívida de usuários com Cepisa é de R$ 850 milhões

"Nós precisamos investir e arrecadar, e para isso, nós precisamos reduzir a perda. Só nesse começo de ano a empresa deixou de receber R$ 54 milhões", explicou Nonato Castro.

Jonas Carvalho
Teresina
Germana Chaves
Teresina
Wanessa Gommes
Teresina
- atualizado

Na manhã desta terça-feira (16), o presidente da Equatorial-Cepisa, Nonato Castro, esteve reunido em audiência com os deputados estaduais na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) e falou sobre as demissões internas que estão acontecendo na empresa. Ele ainda afirmou que as dívidas dos usuários chegam a R$ 850 milhões.

Nonato falou que desses R$ 850 milhões, somente 65% são devedores de Teresina. "Temos um débito a receber na Cepisa de R$ 850 milhões, dos quais 65% é só em Teresina. Nós temos que negociar, facilitar as negociações, mas não podemos deixar de receber. É quase R$ 1 bilhão a receber. Vamos fazer as negociações, mas não podemos ficar dessa forma. Não podemos descartar R$ 850 milhões. Os investimentos que vamos fazer é de R$ 350 milhões em redes, em sistemas, fora o que vamos investir em plataforma digital", destacou.

  • Foto: DivulgaçãoDeputados participam de audiência com Nonato Cardoso, presidente da Equatorial-CepisaDeputados estaduais participam de audiência com Nonato Castro, presidente da Equatorial-Cepisa

De acordo com a denúncia realizada pelo Sindicato dos Urbanitários do Piauí (SINTEPI), as demissões estariam ocorrendo sem justa causa. No entanto, o diretor da concessionária alegou que a Cepisa possui dívida de R$ 1,04 bilhão e para quitar este valor, é preciso reduzir a folha salarial.

“Nós hoje somos uma empresa privada. Empresa privada não faz concurso, não tem validade de concurso. E essa empresa, como toda a Eletrobras privatizou, estava quebrada. Parece que as pessoas ficam escondendo isso com um discurso fácil e a gente gosta de falar as coisas de forma transparente. Essa empresa, este ano, vai pagar da Cepisa R$ 1,04 bilhão de dívidas. Então, nós precisamos investir e arrecadar, e para isso, nós precisamos reduzir a perda. Só nesse começo de ano a empresa deixou de receber R$ 54 milhões, sem contar o que tem de passivo. Tem consumidores com 88 contas em débitos”, informou.

Para o deputado estadual Evaldo Gomes (Solidariedade), a redução no quadro de funcionários garante à empresa R$ 40 milhões, que devem ser investidos na extensão da rede de serviço.

“A Cepisa precisa fazer mais investimentos, já que ela quer reduzir a folha de pagamento, reduzir a folha que paga hoje, segundo eles, um pouco mais de R$ 40 milhões. Se ele reduz a folha, coloca uma empresa enxuta, ele vai ter mais dinheiro para investimento. E lógico, que naturalmente, quanto mais gente consumir energia e fizer seus pagamentos em dia, melhor para a empresa que fará mais investimentos nos municípios”, concluiu.

Cortes de energia

Em Teresina, foi sancionada pelo prefeito Firmino Filho, lei que proíbe a realização de cortes de energia e água às sextas-feiras, sábados, domingos e feriados. No dia 8 de julho, o vereador Levino de Jesus apresentou uma emenda à lei para impedir o corte de enetgia também no período da noite.

Sobre os cortes realizados à noite, o presidente informou que apenas os religamentos ilegais são interrompidos durante a noite. "Vamos mostrar que os cortes são feitos durante o dia. Se cobra R$ 50,00 para uma religação ilegal. Se perde muito dinheiro. No final de semana e a noite, é o recorde de quem religou ilegalmente. É questão de risco. Já morreram quatro pessoas. O 'gateiro' não coloca conector, ele coloca um filme e aumenta os danos elétricos, grampos inadequados. Isso envolve segurança", disse Nonato Castro.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Sintepi denuncia demissão em massa pela Equatorial-Cepisa

Levino de Jesus apresenta emenda que proíbe corte de energia à noite

Firmino Filho proíbe cortes de água e luz aos finais de semana