Piauí

Piauí registra aumento de 32 mil empregos em 2 meses, diz IBGE

Em maio, a força de trabalho era constituída por 1.076.000 pessoas, número que reduziu para 1.064.000 em junho, 1.032.000 em julho e chegou a 1.064.000 pessoas em agosto.

Davi Fernandes
Teresina
- atualizado

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Covid 19 (PNAD Covid19), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou que em agosto, a força de trabalho apresentou um aumento de 32 mil pessoas, porém, ainda não recuperou a redução registrada de maio a julho deste ano.

De acordo com os dados, de maio a julho, o Piauí apresentou mensalmente uma diminuição na força de trabalho, assim, chegando a uma queda total de 44 mil pessoas no período, uma redução de cerca de 4%. Em maio, a força de trabalho era constituída por 1.076.000 pessoas, número que reduziu para 1.064.000 em junho, 1.032.000 em julho e chegou a 1.064.000 pessoas em agosto.

O distanciamento social por conta da pandemia da covid-19, fez com que muitas pessoas, apesar de desejarem conseguir uma ocupação, não disponibilizassem sua mão de obra no mercado, o que reduziu a força de trabalho no estado.

Em maio eram 505 mil pessoas afastadas da força de trabalho nessa situação, em junho 535 mil e em julho 568 mil. Em agosto registrou-se a primeira redução desse quantitativo, com 538 mil pessoas, uma queda de 5,2% em relação ao mês de julho.

No Brasil, de maio a julho, a força de trabalho apresentou uma redução de aproximadamente 800 mil pessoas, queda de 0,8%. Em agosto, a exemplo do que ocorreu com o Piauí, também houve uma recuperação da força de trabalho, com o incremento de 1,3 milhão de pessoas, superando inclusive o quantitativo da queda registrada no período de maio a julho.

Mais conteúdo sobre: