Política

Romero Jucá vira em réu por corrupção e lavagem de dinheiro

Ele foi acusado de ter recebido propina da Odebrecht no valor de R$ 150 mil, disfarçada de doação eleitoral para seu partido, no ano de 2014.

WANESSA GOMMES
DE TERESINA
- atualizado

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) recebeu, por unanimidade, denúncia contra o senadorRomero Jucá(PMDB-RR). Com a decisão desta terça-feira (13), o parlamentar vira em réu pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele foi acusado de ter recebido propina da Odebrecht no valor de R$ 150 mil, disfarçada de doação eleitoral para seu partido, no ano de 2014, em troca de emendas parlamentares para favorecer a empresa.

  • Foto: Dida Sampaio/Estadão ConteúdoRomero JucáRomero Jucá

Jucá responde a outros 12 inquéritos no STF, pelos mais diversos motivos, entre eles, há investigações iniciadas nas operações Lava-Jato e Zelotes e também por desvios de recursos da usina de Belo Monte, tendo a Procuradoria-Geral da República apresentado denúncia em três, que ainda não foram julgadas pela corte.

Investigação arquivada

No mês passado, Jucá teve uma investigação arquivada no STF por prescrição – ou seja, passou-se tanto tempo da abertura do inquérito, que ficou inviável puni-lo. O caso tramitou no Judiciário por quase 14 anos. O senador era investigado por supostos desvios de verbas federais para o município de Cantá, localizado no estado de Roraima, estado pelo qual ele foi eleito.