Saúde

Vacina contra covid-19 pode estar pronta até final do ano, diz OMS

Sem dar detalhes, Tedros Adhanom Ghebreyesus fez afirmação em discurso ao término de dois dias de reuniões do Conselho Executivo da entidade.

Por  Estadão Conteúdo

Uma vacina contra a covid-19 pode ficar pronta até o final do ano, disse o chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta terça-feira, 6, sem dar mais detalhes. Diretor Geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus apelou à solidariedade e ao compromisso político de líderes de todos os países para garantir a distribuição igual das vacinas quando estiverem disponíveis.

"Vamos precisar de vacinas e há esperança de que até o final deste ano possamos ter uma vacina. Há esperança", afirmou.

Tedros fez a afirmação no discurso de encerramento da reunião do Conselho Executivo da OMS que examinou a resposta global à pandemia.

O regulador de saúde da União Europeia lançou uma revisão em tempo real de uma vacina covid-19 desenvolvida pela farmacêutica norte-americana Pfizer e pela BioNTech da Alemanha, após um anúncio semelhante para a vacina da AstraZeneca na semana passada.

O anúncio da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) pode acelerar o processo de aprovação de uma vacina de sucesso no bloco.

Nove vacinas experimentais estão sendo preparadas para a instalação global de vacinas COVAX, liderada pela OMS, que pretende distribuir 2 bilhões de doses até o final de 2021. Até agora, cerca de 168 países aderiram à instalação da COVAX, mas nem a China, Estados Unidos e Rússia estão entre eles.

O governo Trump disse que está contando com acordos bilaterais para garantir o fornecimento pelos fabricantes de vacinas.

“Especialmente para as vacinas e outros produtos que estão em desenvolvimento, a ferramenta mais importante é o compromisso político de nossos líderes, especialmente na distribuição equitativa”, disse Tedros. “Precisamos uns dos outros, precisamos de solidariedade e precisamos usar toda a energia que temos para combater o vírus”, disse ele.

Em seu relatório mais recente, a OMS informa que há 191 vacinas sendo desenvolvidas para combater o novo coronavírus. Dessas, 40 estão em avaliação clínica, ou seja, iniciaram os testes em seres humanos. Sendo que dez estão na fase 3, a última antes da conclusão. São cerca de cem mil voluntários, por enquanto, que vão receber as doses. As outras 151 estão em um momento inicial, de identificar o agente causador e realizar testes em animais, como camundongos, por exemplo.

Por ser o terceiro país com mais infectados no mundo e também ter laboratórios de referência, o Brasil tem sido bastante requisitado para auxiliar no desenvolvimento de algumas dessas vacinas. Quatro vacinas que iniciaram a fase clínica estão sendo testadas aqui no Brasil: a da Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca e a Fiocruz (inglesa), a da Sinovac em parceria com o Instituto Butantã (chinesa), a da BioNTech/Pfizer (alemã/americana) e, mais recentemente, a desenvolvida pela Janssen Pharmaceuticals (belga/americana), do grupo Johnson & Johnson.

Mais conteúdo sobre: