Política

Wellington Dias defende fim da reeleição para presidente da Alepi

Wellington disse que quando esteve na Alepi, era a favor da "alternância", mas enquanto governador não quis se comprometer.

Andressa Martins
Teresina
Germana Chaves
Teresina
- atualizado

Em entrevista ao GP1, na manhã de sexta-feira (23), o governador Wellington Dias (PT) afirmou que defende a alternância de poder dentro da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) e que ela é “positiva”. Apesar da declaração, o governador não quis se comprometer sobre quem seria o candidato do governo para concorrer à Presidência da Casa e disse que vai “respeitar” a decisão dos deputados.

O governador explicou o motivo de defender a alternância: "O fato é que temos a independência da Assembleia. Quando estive na Assembleia eu defendi a alternância, acho que ela é positiva, garante as condições de você ter um regramento. Como a Assembleia tem mandatos de dois anos, ela permite durante um mesmo período você ter dentro de uma mesma legislatura essa mesma possibilidade”, afirmou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Wellington Dias Wellington Dias

Para Wellington, o ideal seria eleição de cinco em cinco anos e sem reeleição para toda esfera pública: “A minha tese era de eleição de cinco em cinco anos, sem reeleição para nenhum nível dentro da estrutura pública. A minha opinião é que se vai ser o entendimento, que se chegar lá a melhor decisão e eu saberei respeitar”, concluiu o petista.

Fim da reeleição

O deputado João Mádison (MDB) apresentou um Projeto de Resolução na Alepi propondo o fim da reeleição para a presidência da Casa. Apesar de evitar falar no assunto, o atual presidente da Assembleia, Themístocles Filho, poderá sair candidato à reeleição. O Progressistas de Ciro Nogueira e Júlio Arcoverde também poderá emplacar um candidato nestas eleições.