Teresina - PI

Wilson Martins diz que prorrogação de mandato é "antidemocrático"

"Talvez possa ser adiada [a eleição], mas daí avançar para a prorrogação de mandatos é algo mais complexo e antidemocrático", disse Martins.

Germana Chaves
Teresina
- atualizado

O ex-governador do Piauí e presidente do Diretório do PSB no Estado, Wilson Martins, fez uma avaliação dos cenários político/eleitoral neste momento de crise causada pela panedemia do novo coronavírus (covid-19). Uma das críticas de Wilson está voltada para a proposta, segundo ele, "antidemocrática" de prorrogação dos mandatos de prefeitos e vereadores.

Martins acredita que um possível adiamento das eleições vai depender muitos dos impactos causados pela pandemia no Brasil, como por exemplo, o número de mortos.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Wilson Martins lamenta a morte do Ernani Maia Wilson Martins

"Vai depender da quantidade de contaminados, do tempo que perdurar e do número de mortos do covid-19 no País. Talvez possa ser adiada [a eleição], mas daí avançar para a prorrogação de mandatos é algo mais complexo e antidemocrático. Muito cedo para trabalharmos com esta hipótese. Uma variante importante será o tamanho do estrago em nossa economia. Pessoalmente estou temeroso com o que poderá acontecer", ponderou o ex-governador.

Wilson Martins disse ainda não acreditar que o tema seja prioridade dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

"Sinto não ser pensamento da maioria dos ministros do STF e do TSE. Mas isso, depende menos deles do que do Congresso Nacional que, anda sempre embalado pelo sentimento popular. Acho que vai depender [o destino da eleição] do emocional da nossa gente, do efetivamente vamos viver nessa pandemia", finalizou o ex-governador do Piauí.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Covid-19: Franzé Silva repudia discussão sobre adiamento das eleições

Firmino Filho diz que não é momento para falar sobre adiamento das eleições

Covid-19: JVC diz que debate sobre adiamento da eleição é irrelevante

Após alerta de Mandetta, Ciro volta atrás e sugere adiamento das eleições