GP1

Augusto Corrêa - Pará

TRF-4 nega último recurso do ex-ministro José Dirceu

Dirceu responde por corrupção passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro em processo que investiga irregularidades na diretoria de Serviços da Petrobras.

O ex-ministro José Dirceu pode voltar à prisão. Nesta quinta-feira (17), foi negado por unanimidade pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), o último recurso do político. Essa é a última etapa da segunda instância. Ele foi condenado a 30 anos e 9 meses.

  • Foto: Dida Sampaio/Estadão ConteúdoJosé DirceuJosé Dirceu

De acordo com o G1, para isso ocorrer, o TRF-4 precisa emitir ao juiz Sérgio Moro, da Justiça Federal no Paraná, o ofício autorizando a execução da pena. Ele ainda pode recorrer a instâncias superiores.

Dirceu responde por corrupção passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro em processo que investiga irregularidades na diretoria de Serviços da Petrobras, dentro da Operação Lava Jato. O ex-ministro ficou preso no Paraná entre agosto de 2015 e maio de 2017, quando conseguiu no Supremo Tribunal Federal (STF) um habeas corpus para responder em liberdade, mas com monitoramento por tornozeleira eletrônica.

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou no dia 19 de abril, o pedido liminar apresentado pela defesa do ex-ministro José Dirceu, que tentava mais uma vez evitar a prisão de Dirceu. O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) rejeitou por unanimidade embargos infringentes do ex-ministro contra decisão que o condenou.

A pena de Dirceu é a segunda mais alta dentro da Lava Jato até o momento. A primeira é a que foi aplicada a Renato Duque: 43 anos de prisão.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.