GP1

Corrente - Piauí

Secretários nomeados pelo prefeito Murilo respondem a processos

Entre os secretários está um advogado que responde a processo pelos crimes de estelionato e formação de quadrilha.

Três secretários nomeados pelo prefeito de Corrente, Gladson Murilo Mascarenhas Ribeiro (PP),  possuem sérios problemas com a Justiça, a irmã Ianê Mascarenhas Ribeiro, nomeada secretaria municipal de Trabalho e Cidadania, Carlos Clayton Rodrigues Nogueira, nomeado para a Secretaria Municipal de Orçamento e Finanças e o advogado Expedido Basílio da Silva Neto, nomeado para ocupar a Secretaria Municipal de Administração.  

Ianê e Carlos Clayton são réus em ação penal que tramita na Comarca de Corrente acusados pelo Ministério Público de apropriação indébita previdenciária, crime tipificado no art.168-A do Código Penal. A pena para crime é a de reclusão, de 2 (dois) a 5 (cinco) anos, e multa.

De acordo com a denúncia, Ianê e Carlos Clayton deixaram de recolher as contribuições destinadas ao Fundo de Previdência de Corrente, durante os exercícios de 2010 e 2012 que foram descontados dos servidores municipais.

Secretário de Administração foi denunciado na Operação Serendipta

Já o advogado Expedito Basílio da Silva Neto é réu em ação penal que tramita na Comarca de Corrente, acusado de estelionato e formação de quadrilha por supostamente fazer parte de um esquema que fraudava processos e lesava aposentados em pelo 10 cidades da região sul. De acordo com os autos da denominada “Operação Serendipta”, o grupo envolvido no esquema de lesão contra pessoas idosas arrecadou ilicitamente só em 2014, mais de R$ 1 milhão.  Na operação deflagrada pela Polícia Civil foram presos quatro advogados que atuavam prometendo cancelar empréstimos de aposentados, ingressando com ações no Juizado Especial Cível da Comarca de Corrente, lesando as vítimas e instituições financeiras. As investigações também apontaram que o grupo criminoso atuava há mais de cinco anos em todo o extremo sul piauiense, contando, inclusive, com a participação de funcionário público do Poder Judiciário.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.