GP1

Teresina - PI

Governador Wellington Dias cancela viagem que faria para Inglaterra

"Coloquei como prioridade os projetos importantes que tem impacto nas receitas do Piauí", disse o governador.

O governador Wellington Dias (PT-PI) decidiu adiar a viagem que faria a Inglaterra. Ele esclareceu que tomou a decisão para priorizar os assuntos de interesse do Estado. A expectativa é que nos próximos dias, ele encaminhe para a Assembleia Legislativa do Estado parte da proposta de reforma administrativa e a palavra de ondem é cortar gastos para, de acordo com o gestor, adequar o Estado a nova realidade do País.

Após o anúncio de um ‘pacote’ de medidas de contenção, a ideia é que após o envio da proposta para o Alepi, o governador reúne os líderes dos partidos aliados para discutir os ajustes propostos pela equipe econômica governamental.

"Os líderes do Fórum dos Governadores nos fizeram um apelo. Estou acompanhando em relação à votação do projeto no Senado e na Câmara com relação a gás e ao petróleo e do bônus de assinatura no STF para solucionar as retenções ilegais dos fundos de participação dos Estados e municípios. A votação também deve ocorrer na próxima terça-feira do projeto de lei da securitização da dívida. Tudo isso significa condições de receitas para o Piauí e outras unidades da federação. O governador Camilo Santana vai fazer as palestras que eu iria fazer. Coloquei como prioridade os projetos importantes que tem impacto nas receitas do Piauí. Parte dessas medidas vai ser anunciada este ano, parte no início do próximo ano. Naquilo que mexe com os eixos principais da política, estarei apresentando aos líderes", explicou o governador.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Governador Wellington Dias Governador Wellington Dias

Em relação a diminuição de cargos, Wellington foi muito cauteloso e evitou confirmar se vai extinguir pastas e fundir outras. Ele voltou a dizer que todo o esforço nesse primeiro momento é para assegurar o pagamento do funcionalismo público.

“Não tenho decisão tomada porque quero anunciar todas ao mesmo tempo. Mas, do que for necessário de trabalhar, cumprindo a meta do programa, reduzindo áreas, ou reduzindo custos com a unificação. Vamos fazer porque sinto que teremos um momento muito desafiador, não só em 2018, mas também, em especialmente nos anos de 2019 e 2020. É importante estarmos preparados para aquilo que é a essencial, como a folha de pagamento, capacidade de funcionamento das atividades que são essenciais à população e capacidade de investimentos”, disse o governador.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.