GP1

Avelino Lopes - Piauí

DHPP vai investigar morte de deficiente em abordagem da PM no Piauí

O delegado Danúbio Dias ficará responsável pelas investigações sobre o caso ocorrido no último dia 18.

O Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) deu início às investigações para apurar as circunstâncias da morte de um deficiente identificado como Edmares Marques Figueiredo, ocorrida na última segunda-feira (18) no município de Avelino Lopes, região Sul do Piauí.

Conforme o diretor do DHPP, delegado Francisco Costa, o Barêtta, as primeiras informações recolhidas pela Polícia Civil dão conta de que a vítima estava transtornada, ocasião em que a Polícia Militar foi acionada para contê-lo, mas o final da ocorrência evoluiu para a morte de Edmares Marques.

Foto: Alef Leão/GP1Delegado Barêtta
Delegado Barêtta

“Essa pessoa surtou, chamaram uma guarnição composta por três policiais e lá, segundo informações, o rapaz estava transtornado, com um facão na mão. Então os policiais tentaram dominá-lo, não conseguiram, fizeram alguns disparos na perna dele com munição não letal e mesmo assim, não conseguiram contê-lo e ele partiu para cima dos policiais. O policial chegou a disparar um tiro com projétil letal na cabeça do rapaz e ele morreu”, pontuou.

Barêtta afirmou que todas as informações já colhidas pela equipe da Polícia Civil de Curimatá será compartilhado com a equipe capitaneada pelo delegado Danúbio Dias, que ficará responsável pelas investigações sobre o caso, sob determinação do delegado geral da Polícia Civil do Piauí, Luccy Keiko.

“O delegado deve ir nesse final de semana, refazer os procedimentos, tudo do zero, assim como fez em Pedro II [no caso Izadora Mourão], requisita novas perícias, oitivas de pessoas e assim ele vai proceder. O DHPP está assumindo a investigação oficialmente”, acrescentou Barêtta.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.