GP1

Teresina - Piauí

Trabalhadores do transporte alternativo iniciam greve em Teresina

Segundo o Sintrapi, não houve um diálogo com a Strans a respeito do bloqueio da bilhetagem eletrônica.

Após anúncio da greve dos motoristas e cobradores de ônibus, os permissionários do transporte alternativo também anunciaram o início de uma greve geral por tempo indeterminado a partir desta quarta-feira (27), em Teresina.

Conforme o Sindicato dos Proprietários Autônomos de Transportes Alternativos de Passageiros do Estado do Piauí (Sintrapi), não houve um diálogo com a gestão da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (STRANS) a respeito do bloqueio da bilhetagem eletrônica.

Foto: Alef Leão/GP1Transporte alternativo
Transporte alternativo

De acordo com o sindicato, o bloqueio do uso da máquina usada para o cartão de vale transporte feito pela Strans, inviabiliza o atendimento à população, uma vez que boa parte dos teresinenses que fazem uso dos alternativos dispõem do cartão magnético para pagar a viagem.

Ainda conforme o Sintrapi, atualmente o transporte coletivo de Teresina conta com 40 vans saindo de vários bairros de Teresina e cerca de 150 trabalhadores estão sendo prejudicados, sem poder circular.

Por meio de nota, a Sintrapi informou que está à disposição para o verdadeiro diálogo em busca de uma solução que estabeleça o equilíbrio econômico financeiro entre os permissionários e a Prefeitura de Teresina.

Confira a nota do Sintrapi na íntegra:

NOTA JURÍDICA - SINTRAPI

O SINTRAPI considera que a STRANS está se utilizando de remédio abusivo para impedir o exercício de atividade dos permissionários, uma vez que a Prefeitura não é detentora do sistema de bilhetagem eletrônica, não lhe cabendo suspender a sua utilização. Ademais em sendo verificadas tais supostas irregularidades, cabe à STRANS realizar a sua função fiscalizadora, aplicando as sanções previstas no contrato, entre as quais não se encontra a suspensão da utilização do sistema de bilhetagem eletrônico.

Entendemos que a STRANS possui função administrativa imprescindível ao sistema de transportes municipal, no entanto, sua atividade deve atender ao princípio da legalidade, de modo que não pode atuar fora dos limites daquilo que a lei lhe permite.

O SINTRAPI fica à disposição para o verdadeiro diálogo em busca de uma solução que estabeleça o equilíbrio econômico financeiro entre os permissionários e a Prefeitura Municipal de Teresina, tendo como mote maior o bem estar dos usuários do sistema de transporte público da cidade de Teresina.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.