GP1

Coronavírus no Piauí

FMS suspende aplicação da vacina de Oxford em gestantes

A orientação pede que seja seguida a bula do imunizante, que não consta o estudo no uso de gestantes.

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) informou por meio de nota nesta terça-feira (11) que vai seguir a orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que recomendou a suspensão imediata do uso da vacina contra covid-19 da Oxford/Astrazeneca em gestantes.

“A FMS informa que segue a orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que emitiu nota técnica determinando a suspensão imediata da vacinação de gestantes com o imunizante do laboratório Astrazeneca. A FMS vai aguardar nova orientação do Ministério da Saúde para definir como continuar o esquema para este público”, diz a nota.

Liberação médica

Conforme a Secretaria de Estado de Saúde (Sesapi), a vacinação de gestantes só poderá ocorrer caso o médico faça a avaliação e permita o uso do imunizante, levando em consideração os riscos e benefícios da vacina. A Coordenação Geral do Plano Nacional de Imunização deve emitir ainda nesta terça-feira um comunicado com mais detalhes sobre a vacinação.

Recomendação da Anvisa

A orientação da Anvisa pede que seja seguida a bula do imunizante, que não consta o estudo no uso de gestantes. Conforme a nota divulgada pela agência, a decisão é fundamentada no “monitoramento constante de eventos adversos possivelmente causados pelas vacinas em uso no país.”

Em abril as gestantes e puérperas (mulheres que deram à luz há até 45 dias) foram incluídas pelo Ministério da Saúde no grupo prioritário. A pasta agora apura o caso de uma grávida que desenvolveu trombose dias após ser vacinada.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.