GP1

Teresina - Piauí

OAB-PI questiona legalidade da prisão de advogados na Operação Inventário

O representante da OAB, o advogado Marcus Nogueira, afirmou que vai acionar a Justiça.

A Comissão de Defesa das Prerrogativas dos Advogados, da Ordem dos Advogados do Brasil - Secção Piauí (OAB-PI), vai questionar a Justiça sobre a legalidade da prisão dos quatro advogados alvos da Operação Inventário, deflagrada na manhã desta quarta-feira (26), pela Polícia Civil do Estado do Piauí.

Durante entrevista à imprensa nesta manhã, o presidente da comissão, advogado Marcus Nogueira, explicou que a OAB-PI deveria ter sido comunicada previamente sobre a prisão dos advogados pela polícia, o que, segundo ele, não ocorreu. O presidente da comissão garantiu que vai acionar a Justiça para questionar a legalidade das prisões.

Foto: Brunno Suênio/GP1Presidente da comissão de prerrogativas da advocacia da OAB-PI
Presidente da comissão de prerrogativas da advocacia da OAB-PI

“Nós temos uma lei federal que é o nosso estatuto da advocacia, que nos garante que qualquer advogado que seja preso no exercício da profissão, é obrigação da polícia nos comunicar para podermos fazer o acompanhamento da prisão no local. Mas a OAB-PI não foi comunicada, então certamente vamos fazer esse questionamento judicialmente”, declarou o advogado.

Quatro advogados presos

Ao todo, quatro advogados foram presos durante a Operação Inventário, sendo três prisões em Teresina e uma no Paraná. Eles são acusados de fazerem parte de um esquema criminoso de fraudes a inventários a fim de obter patrimônio de pessoas falecidas.

Entre os alvos da operação estão os advogados Elano Lima Mendes e Silva, proprietário do escritório Lima & Mendes Advocacia, que foi preso dentro de um motel, e sua esposa, Liana Erika de Sousa, que estava na residência do casal, onde os policiais apreenderam uma pistola Glock G19 calibre .9mm e cerca de R$ 30 mil em dinheiro.

Foto: Reprodução/InstagramElano Lima Mendes e Silva e Liana Erika de Sousa
Elano Lima Mendes e Silva e Liana Erika de Sousa

“Essa operação teve quatro advogados que são alvos da operação, três estão detidos na sede da delegacia aqui em Teresina e tem uma no Estado do Paraná, ao que tudo indica é relativo a supostos processos fraudulentos em relação a inventários de pessoas que já faleceram. No momento a OAB-PI está fazendo apenas o acompanhamento, para que garantir aos advogados todas suas prerrogativas e garantias como advogados. Cada um ainda vai prestar depoimento para explicar a situação e ver o que ocorreu de fato”, relatou o representante da OAB-PI.

Operação Inventário

A Operação Invetário foi deflagrada pela Polícia Civil com objetivo de cumprir onze mandados de prisão, oito mandados busca e apreensão e bloqueio judicial de bens obtidos como proveito do crime. Até o momento seis pessoas foram presas na operação.

Os mandados são contra advogados, empresários e servidores públicos, acusados pela prática dos crimes de estelionato e lavagem de dinheiro. A investigação do caso apontou que os suspeitos fraudaram um inventário para obter o patrimônio de uma pessoa falecida do Estado do Paraná.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.