GP1

Teresina - Piauí

Paciente denuncia aglomeração de infectados com covid na UBS do Gurupi

A FMS informou que não pode ampliar a rede para covid, para não comprometer outros atendimentos.

Em meio ao aumento no número de casos de covid-19 e de gripe em Teresina, começam a surgir reclamações de superlotação nas unidades de saúde. Nesta quinta-feira (27), moradores da zona sudeste da Capital denunciaram ao GP1 a lotação e a demora no atendimento a pacientes infectados pelo novo coronavírus na Unidade Básica de Saúde (UBS) do Gurupi.

Segundo a denunciante, que preferiu ter o nome resguardado, a UBS recebe as pessoas positivadas para covid-19, mas realiza uma triagem de pacientes, mesmo que estejam apresentando sintomas, para que possam ser atendidos pelos médicos.

A paciente reclama pelo fato de muitas pessoas estarem esperando por um bom tempo para serem atendidas, sentindo dor e febre, sintomas causados pela doença.

Foto: Reprodução/WhatsAppUBS do Gurupi lotada
UBS do Gurupi lotada

“A situação aqui é a seguinte: quem já fez o teste da covid ainda vai passar por triagem e depois que vai falar com o médico. Se eu já estou com o teste [positivo] eu já deveria falar com o médico e não passar por isso. A pessoa chega positivada, com febre, dor, e passa esse tempo todo para ser atendido”, reclamou a paciente.

Estruturação das UBS

Desde o último dia 6 de janeiro a Fundação Municipal de Saúde (FMS) modificou a estruturação das Unidades Básicas de Saúde, e atualmente Teresina possui apenas seis UBS para atendimento exclusivo de síndrome gripal.

As unidades foram divididas, sendo que a zona sudeste possui apenas uma UBS, que é a do bairro Gurupi. A mesma situação ocorre com a zona norte, que conta apenas com a UBS do Real Copagre. Na zona leste há as UBS dos bairros Planalto Uruguai e Taquari, enquanto a zona sul conta com as UBS Parque Piauí e Hugo Prado.

O que diz a FMS

Procurado pelo GP1, o presidente da FMS, Gilberto Albuquerque, disse que no momento, por conta do aumentos de casos de covid-19, a estrutura de atendimento não poderá ser ampliada, para que o atendimento de outras doenças não seja afetado em Teresina.

Foto: Lucas Dias/GP1Gilberto Albuquerque
Gilberto Albuquerque

“Nós já aumentamos de quatro para sete UBSs e também não podemos deixar que as unidades fiquem sem atender outras demandas não, esse é o número máximo que nós temos. Nós abrimos os centros de testagens que é para diminuir o atendimento das UBS em fazer teste. Então se colocarmos mais UBSs [para covid] deixaríamos de atender outras doenças”, afirmou.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.