GP1

Gilbués - Piauí

Funcionários da Equatorial Piauí são presos por furto de energia

Também foi preso o dono de uma fazenda que foi flagrado comprando o material furtado da empresa.

Dois funcionários da Equatorial Piauí identificados como Wallas Alves Pessego, 34 anos, e Marlos Lustosa de Sousa, 40 anos, foram presos na última terça-feira (24), acusados de furto qualificado na cidade de Gilbués, região Sul do Piauí. O dono de uma fazenda, identificado como Genesio Alves Ribeiro, 55 anos, foi preso acusado de receptação.

O GP1 teve acesso ao auto de prisão em flagrante expedido contra os presos no dia 25 de maio de 2022. Conforme o documento, a Polícia Civil foi a localidade Brejo na Ladeira, na zona rural de Gilbués averiguar uma denúncia de furto de energia, que alimentava uma fazenda clandestinamente. Após constatar o furto de energia e também o crime de receptação de materiais furtados, os policiais prenderam em flagrante os funcionários da Equatorial Piauí Wallas Alves Pessego, 34 anos e Marlos Lustosa de Sousa, 40 anos; e Genesio Alves Ribeiro, proprietário da fazenda.

Durante as diligências, os policiais civis apreenderam um poste, cabos elétricos, materiais elétricos e hidráulicos, celulares e outros materiais de construção.

Em seu depoimento, Genesio Alves Ribeiro relatou que os funcionários da Equatorial Piauí Wallas Alves e Marlos Lustosa fizeram a ligação clandestina de toda a rede de energia elétrica da fazenda. A Polícia Civil constatou que o transformador, o poste e o cabeamento utilizado na ligação clandestina haviam sido furtados de outra localidade.

Wallas Alves afirmou em depoimento que utilizou um transformador sem uso e que pegou apenas um poste e materiais de descarte não utilizados para fazer a ligação de energia, mas que sabia que os materiais pertenciam a Equatorial Piauí, empresa que ele trabalhava. Já Marlos Lustosa alegou em seu depoimento que trabalhava na Equatorial Piauí há três anos e que a única participação no crime foi de ajudar a montar a rede elétrica.

O que diz a Equatorial Piauí

O GP1 entrou em contato com a Equatorial Piauí, que, por meio de nota, afirmou ter dado suporte técnico às diligências realizadas pela polícia e que os referidos funcionários fazem parte de empresa terceirizada que presta serviço para a concessionária de energia. A Equatorial ressaltou também que identificou um aumento no número de ocorrências envolvendo furto de cabos e outros equipamentos da rede elétrica em Gilbués, e, assim, tiveram início as investigações.

Leia na íntegra a nota da Equatorial Piauí:

A Equatorial Piauí esclarece que prestou suporte técnico às diligências realizadas pela Polícia Civil desde a última terça-feira (24), em operação deflagrada para combate ao furto de materiais da Distribuidora no município de Gilbués, região Sul do estado. As investigações começaram após a empresa identificar o aumento no número de ocorrências registradas envolvendo furto de cabos e outros equipamentos da rede elétrica em Gilbués, e registrar junto à delegacia local boletins de ocorrência para apuração dos casos.

Durante a ação, foram presos um proprietário de uma sucata, dois prestadores de serviço de uma empresa parceira que atua para a Equatorial e um cliente por furto de energia. Os acusados foram indiciados, por receptação, furto de materiais e furto de energia, respectivamente.

A Equatorial ressalta, ainda, que, de imediato, exigiu da empresa parceira a adoção de todas as medidas cabíveis em relação ao caso e que não compactua com qualquer prática dessa natureza. A empresa permanece à disposição das autoridades com o objetivo de contribuir com a apuração do caso.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.