GP1

Teresina - Piauí

PSOL homologa candidatura de Madalena Nunes ao Governo do Piauí

Madalena Nunes tem como candidata a vice-governadora Cyntia Falcão e ao Senado George Mágno.

Marcelo Cardoso/GP1 1 / 8 Madalena Nunes Madalena Nunes
Marcelo Cardoso/GP1 2 / 8 Candidata Madalena Nunes Candidata Madalena Nunes
Marcelo Cardoso/GP1 3 / 8 George Mágno, candidato ao Senado Federal George Mágno, candidato ao Senado Federal
Marcelo Cardoso/GP1 4 / 8 Seu Cláudio, candidato a deputado federal Seu Cláudio, candidato a deputado federal
Marcelo Cardoso/GP1 5 / 8 Evento aconteceu no plenarinho da Câmara Municipal de Teresina Evento aconteceu no plenarinho da Câmara Municipal de Teresina
Marcelo Cardoso/GP1 6 / 8 Presentes no evento Presentes no evento
Marcelo Cardoso/GP1 7 / 8 Emerson Sammuel, presidente do PSOL e candidato a deputado Emerson Sammuel, presidente do PSOL e candidato a deputado
Marcelo Cardoso/GP1 8 / 8 Jéssica Rodrigues, candidata a deputada estadual Jéssica Rodrigues, candidata a deputada estadual

A federação entre o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) e a Rede Sustentabilidade homologou a candidatura da servidora pública Maria Madelana Nunes ao Governo do Piauí, durante convenção realizada na manhã deste domingo (31), no plenarinho da Câmara Municipal de Teresina.

Madalena Nunes tem como candidata a vice-governadora a professora Cyntia Falcão. A chapa majoritária também é composta pelo advogado George Mágno, que será candidato ao Senado Federal. Em entrevista à imprensa, Madalena destacou que o principal objetivo da candidatura é trazer os movimentos sociais e as minorias para os espaços de poder.

“Temos que dialogar com todas as diferenças da nossa sociedade, nossa sociedade é linda, é rica, assim como o nosso país, e nesse sentido a gente quer trazer essa riqueza para os espaços de decisão, de poder. É nessa diversidade que a gente está apostando, principalmente nesse momento que o Brasil passa, como uma forma da gente superar toda essa violência que sofremos no nosso dia a dia. Não é justo que a concentração de renda permita que pessoas no nosso país recebam trilhões diariamente enquanto a maioria da sociedade passa necessidade, mais de 30 milhões de pessoas passando fome, essa realidade não é aceitável no nosso país e nós queremos superar, queremos trazer, nessa candidatura do PSOL junto com Rede, as pessoas pra virem discutir conosco e construir um futuro”, declarou a candidata.

A servidora criticou a política econômica e de desenvolvimento praticada pelos governos federal e estadual nos últimos anos. “A política econômica que está em curso no nosso país é a política neoliberal e não é diferente aqui no Piauí. A política neoliberal passa por atacar o direito da classe trabalhadora. A gente já viu aqui no Piauí, reforma da previdência, reforma administrativa, todas retirando direitos. A gente vê como o agronegócio tem destruído o meio ambiente, que é outra bandeira nossa, a proteção e um desenvolvimento ecossocialista. É isso que defendemos, um desenvolvimento que considere a realidade daquela comunidade, das pessoas que vivem no local. Nós acreditamos que é possível a gente fazer aqui no Piauí”, disse Madalena.

Apoio à candidatura de Lula ao Palácio do Planalto

A candidata a governadora também falou sobre a oficialização do apoio da federação, a nível nacional, a candidatura do ex-presidente Lula, do Partido dos Trabalhadores (PT).

“É a opção que nós temos nesse momento, porque nós enquanto PSOL vemos que não temos condições de continuar com esse desgoverno. Além dos ataques a classe trabalhadora, os ataques às mulheres, e não só as mulheres, a gente vê nas periferias nossa juventude sendo assassinada e é pelo estado. Nesse sentido nós temos uma candidatura viável que aponta com uma grande possibilidade de vencer do primeiro turno. E é isso que o PSOL aposta, porque não queremos que esse governo fique mais nenhum dia depois das eleições”, comentou Madalena.

Candidatura ao Senado Federal

O candidato a senador pela federação, o advogado George Mágno, destacou que atua na advocacia popular há 24 anos e falou que seu foco será a defesa das comunidades tradicionais, indígenas e quilombolas caso seja eleito para o Senado Federal.

“A gente está vivendo um momento difícil nesse momento no nosso país, com medidas que atacam muito ao servidor público, aos mais vulneráveis, voltamos ao mapa da fome, e é preciso que a gente esteja também no Congresso Nacional nesse trabalho de legislação, que a gente possa tá legislando em favor principalmente das comunidades tradicionais, das comunidades indígenas e dos quilombolas que estão sendo atingidos nesse momento, que a gente também vê denúncias horríveis de corrupção, é preciso que a gente esteja lá no Senado pra fiscalizar esse processo e pra que esse dinheiro possa chegar efetivamente a aqueles que mais precisam", pontuou.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.