GP1

Porto - Piauí

Empresário morto em Porto já tinha sofrido dois atentados, diz delegada

Antônio Bezerra também respondia por lesão corporal dolosa contra um desafeto em agosto de 2019.

A delegada Bernadete Santana, titular da Delegacia de Polícia Civil de Porto, confirmou ao GP1 nesta quarta-feira (06) que o empresário Antônio Bezerra da Silva Filho, de 61 anos, morto com cinco tiros em um bar na tarde dessa terça (05), já tinha sido vítima de outros dois atentados contra sua vida na cidade de Porto do Piauí.

“Sim, a vítima do homicídio de ontem, identificada como Antônio Bezerra, foi vítima anteriormente de duas tentativas de homicídio que estavam sendo investigadas pela Delegacia de Porto. Em razão do crime bárbaro de ontem, continuamos com as diligências e tão logo seja concluído, o inquérito policial será encaminhado ao Poder Judiciário”, declarou.

Foto: Reprodução/WhatsAppAntônio Bezerra
Antônio Bezerra

A delegada também afirmou que há mais de uma linha de investigação sobre o caso. “Há algumas linhas de investigação, mas no momento não podem ser divulgadas a fim de não prejudicar as investigações em curso”, finalizou.

Empresário respondia por lesão corporal praticada em 2019

Em 2019, o empresário Antônio Bezerra foi acusado de lesão corporal dolosa contra um homem na saída de uma festa em uma churrascaria da cidade no dia 16 de agosto. A vítima relatou, conforme consta em um boletim de ocorrência, que foi abordado e agredido pelo empresário quando se dirigia até seu veículo que estava estacionado próximo ao evento.

Segundo o relato da vítima de agressão, o empresário desferiu uma coronhada com uma arma de fogo na sua cabeça e em seguida sofreu diversos golpes no rosto. Além das agressões, a vítima relatou ameaças de morte proferidas por Antônio Bezerra.

Morte de Antônio Bezerra

Um empresário identificado como Antônio Bezerra foi assassinado com cinco disparos de arma de fogo em um bar no início da noite dessa terça-feira (05), na cidade de Porto, região Norte do Piauí.

Em entrevista ao GP1, o sargento Jota Luiz, da Polícia Militar, afirmou que a vítima estava no bar em que é sócio no momento que um indivíduo não identificado chegou, pediu para comprar um cigarro e logo depois efetuou os cinco disparos contra o comerciante.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.