GP1

Piauí

Radiologista do HGV pode ter sido morto por dívida com bandidos

Segundo o Ministério Público, o motivo do crime teria sido uma dívida de R$ 6 mil, em razão de a vítima, supostamente, ter contratado os autores para matar uma pessoa e, posteriormente desist

O radiologista Kleiton Ângelo Guedes Assunção Martins assassinado, no dia 11 de dezembro do ano passado, no povoado Taboca do Pau Ferrado, zona sudeste de Teresina, pode ter sido morto por dívida após contratar bandidos para executar uma pessoa. A informação consta na denúncia oferecida pelo Ministério Público do Estado do Piauí.

De acordo com a denúncia, no dia do crime, por volta das 21h40, a vítima teria pegado a importância de R$ 1.000 com primos, no estacionamento do supermercado Mix Matheus, tendo demonstrado nervosismo. Segundo consta, após esse momento, a vítima não teria comunicado para onde iria e não teria mais dado notícias ou atendido ligações telefônicas.

  • Foto: Reprodução/Facebook Kleiton ÂngeloKleiton Ângelo

Ainda segundo o órgão ministerial, Kleiton teria sido atraído ao local do crime por Juniel e Antônio Paulo, que teriam utilizado a aquisição de um colar de ouro como modo de levá-lo a um matagal, onde a vítima foi atingida por vários disparos de arma de fogo.

Narra-se na denúncia que o motivo do crime teria sido uma dívida de R$ 6 mil, em razão de a vítima, supostamente, ter contratado os autores para matar uma pessoa e, posteriormente, desistido e contratado outras pessoas para executar o feito.

Denúncia recebida

O juiz de direito Antônio Reis de Jesus Nollêto, da 1ª Vara do Tribunal Popular do Júri, recebeu denúncia contra Juniel de Sousa Silva e Antônio Paulo de Oliveira, acusados de matar o radiologista Kleiton Ângelo Guedes Assunção Martins. A decisão foi dada no dia 13 de outubro.

Pedido de liberdade negado

Nessa segunda-feira (30), o juiz Antônio Reis negou pedido de liberdade requerido pela defesa de Juniel que alegou que o acusado possui residência fixa na cidade de São Paulo e exerce profissão lícita. Além disso, afirmou que o denunciado sofre de problemas respiratórios e faz parte do grupo de risco para a covid-19, tendo, inclusive, precisado de atendimento médico de urgência.

Em sua manifestação, o Ministério Público do Estado requereu a manutenção da custódia cautelar do acusado, com base nos artigos 312 e 313, I do CPP, por entender que estão presentes os requisitos necessários à manutenção da medida, além de não ter restado demonstrada a impossibilidade de o acusado receber tratamento no estabelecimento prisional, em que se encontra.

Em sua decisão, o magistrado destacou que o pedido de revogação da preventiva não merece prosperar, visto que, além de presentes a materialidade delitiva e os indícios de autoria, subsiste o fundamento que ensejou a decretação da prisão provisória, qual seja: a necessidade de garantir a ordem pública, demonstrada pela periculosidade do agente, em face da gravidade em concreto do delito, associada à motivação do fato.

Relembre o caso

Kleiton Ângelo Guedes Assunção Martins, de 26 anos, trabalhava como radiologista no Hospital Getúlio Vargas (HGV) e foi encontrado morto com nove disparos de arma de fogo, no povoado Taboca do Pau Ferrado, zona sudeste de Teresina, no dia 11 de dezembro de 2019.

De acordo com o capitão Araújo, do 8º Batalhão da Polícia Militar, populares ouviram disparos de arma de fogo por volta de 1h da madrugada e acionaram a PM, que ao chegar ao local já se deparou com a vítima sem vida. “A perícia constatou que ele foi atingido por disparos de pistola .40, sendo quatro na região peito e cinco nas costas, ao todo nove disparos”, pontuou.

Ainda segundo o capitão, o corpo de Kleiton Ângelo foi localizado em uma estrada vicinal próximo ao Assentamento Nossa Senhora do Desterro. Ele era filho do cinegrafista Kleiton Martins, da TV Clube.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Acusado de matar radiologista do HGV é preso pelo DHPP em São Paulo

Jovem executado com nove tiros trabalhava como radiologista no HGV

Jovem é executado com nove tiros na Taboca do Pau Ferrado

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.