GP1

Piauí

Mais de 900 mil pessoas não têm internet em casa no Piauí, diz IBGE

A pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é referente ao ano de 2019.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na pesquisa de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) da PNAD Contínua, apontou que menos de 70% dos domicílios piauienses tinham acesso à internet em 2019. Segundo os dados, a porcentagem representa que 906 mil pessoas não tinham internet há dois anos.

A proporção aumentou nos últimos anos, mas ainda é a menor do país, onde houve utilização do serviço em oito a cada dez lares, aproximadamente. A pesquisa mostra que a proporção de residências piauienses onde a internet foi utilizada passou de 52,7% em 2016 para 67,3% em 2019. O índice obtido pelo estado em 2019 ainda é inferior à média que o país tinha em 2016, quando 69,4% dos domicílios brasileiros já tinham acesso ao serviço.

Foto: Lucas Dias/GP1Aparelho Celular
Aparelho Celular

Em 2019, o Brasil alcançou a média de 82,7% dos lares com acesso à rede mundial de computadores. No Distrito Federal, onde há maior proporção de acesso à internet, o serviço chegava a 94,4% das residências em 2019.

Aproximadamente 339 mil casas piauienses, onde residiam 906 mil pessoas, ainda não tinham acesso à internet em 2019. O principal motivo para a não utilização do serviço era o valor, considerado caro em 26,4% desses domicílios. Cerca de 25,4% dos lares apontaram a falta de interesse em utilizar o serviço e nenhum morador sabia usar internet em 21,8%. A indisponibilidade do serviço na região foi a justificativa em 12,7% das residências e 9,8% dos entrevistados disseram que o equipamento necessário para uso da internet era caro. Outros motivos foram relatados em 3,9% dos domicílios.

No Piauí, o rendimento domiciliar médio mensal por pessoa onde a internet foi utilizada é 72,2% superior aos lares em que não houve acesso à rede. Em média, nas casas com internet, a renda mensal por pessoa era de R$ 923 mensais, valor que cai para R$ 536 nas residências sem utilização do serviço. Além disso, o rendimento médio por pessoa residente nos domicílios com acesso à internet é 13,1% maior do que a média de rendimento geral do estado, que era de R$ 816. Enquanto isso, as casas em que não houve utilização da internet tinham rendimento médio 52,2% mais baixo do que o valor médio geral do Piauí.

Também há diferenças no uso da internet por grupo de idade. No Piauí, enquanto 89,6% das pessoas da faixa etária de 20 a 24 anos utilizaram o serviço em 2019, entre as pessoas com 60 anos ou mais de idade a proporção cai para apenas 21,6%. Todos os grupos etários de 10 até os 49 anos de idade tiveram proporção de uso da rede superior à 50%. Somente a partir dos 50 anos de idade a taxa cai para menos da metade.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.