GP1

Piauí

Wellington Dias inaugura Centro de Reinserção Padre Pedro Balzi

O centro está localizado no bairro Vermelha, na zona sul de Teresina e é uma parceria com Fazenda da Paz.

Lucas Dias/GP1 1 / 9 Wellington Dias Wellington Dias
Lucas Dias/GP1 2 / 9 Inauguração do Centro de Reinserção Padre Pedro Balzi Inauguração do Centro de Reinserção Padre Pedro Balzi
Lucas Dias/GP1 3 / 9 Wellington Dias Wellington Dias
Lucas Dias/GP1 4 / 9 Wellington Dias Wellington Dias
Lucas Dias/GP1 5 / 9 Internos da Fazenda da Paz Internos da Fazenda da Paz
Lucas Dias/GP1 6 / 9 Inauguração aconteceu na manhã desta quinta Inauguração aconteceu na manhã desta quinta
Lucas Dias/GP1 7 / 9 Autoridades presentes Autoridades presentes
Lucas Dias/GP1 8 / 9 Leonardo Eulálio e Wellington Dias Leonardo Eulálio e Wellington Dias
Lucas Dias/GP1 9 / 9 Wellington Dias conhece o centro Wellington Dias conhece o centro

O governador Wellington Dias inaugurou, na manhã desta quinta-feira (20), o Centro de Reinserção Padre Pedro Balzi, localizado no bairro Vermelha, na zona sul de Teresina. O projeto é em parceria com Fazenda da Paz.

Wellington explicou o porquê do centro receber o nome de Pedro Balzi. “O centro de reinserção social que homenageia o Padre Pedro é para lembrar que ele fez um importante trabalho no Piauí, destacadamente ali na região da Vila da Paz, e também voltado, claro, para área da sua missão na igreja. Ele criou as primeiras experiências do Piauí nessa área de políticas sobre drogas”, afirmou.

“Hoje são 52 entidades credenciadas no Piauí, é a maior rede do Brasil e ali tem uma meta, tem uma grade de trabalho, normalmente com terapias ocupacionais, com esse diálogo com a família, essa reinserção com a família, cuida das pessoas, cuida da família, cuida do seu ambiente natural”, completou Wellington Dias.

Segundo o governador, mais de 50 mil pessoas já conseguiram deixar o vício graças aos centros de ajuda. “Hoje nos alegra que já são mais de 50 mil pessoas em todo o Piauí, fruto desse trabalho, que já estão há mais de dois anos de abstinência, ou seja, há mais de dois anos essas pessoas que eram dependentes de alguma droga, já não são mais dependentes de nenhuma droga. Muitas delas, eles estimam que aproximadamente 46% já estão reinseridas no mercado de trabalho como empreendedor ou como empregados”, declarou Wellington Dias.

“Aqui nesse centro nós vamos ter a qualificação profissional voltada para áreas onde tenham oportunidades. Tem oportunidades na construção civil, em atividades do campo, seja como empreendedor ou como empregado, a gente faz a qualificação. Além disso, o Estado também tem o estímulo para poder viabilizar. Nós estamos colocando essas pessoas de um lado no cartão social com essa meta de reinserção social para ter uma condição, mas do outro lado o objetivo é que tenham frutos do trabalho, da renda, até porque é isso que certamente vai fazer a diferença no objetivo principal, que é de não ter mais a recaída para o mundo das drogas”, argumentou Wellington Dias.

De acordo com Zé Santana, secretário de Assistência Social e Cidadania, o objetivo do centro é garantir que os pacientes conseguiam ser reinseridos na sociedade. “Os egressos das comunidades terapêuticas terão a oportunidade de realizarem curso de qualificação e isso permitirá que após saírem das comunidades possam adquirir um ofício, fazer curso de mecânica de motos, marcenaria, doces e salgados entre outros que permitirão que essas pessoas voltem ao convívio da sociedade com uma profissão facilitando acesso a um eventual emprego no mercado de trabalho como tendo a possibilidade de poder trabalhar como autônomo e através disso ter o sustento da sua família e sendo reinserindo na sociedade de forma natural com uma profissão que aprenderam após o tratamento”, explicou.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.