GP1

Piauí

Veja nomes dos servidores e empresários alvos da Operação Hidra de Lerna

Dos 27 investigados, 5 são servidores do Detran do Piauí, 7 são despachantes e 9 são empresários.

O GP1 divulga com exclusividade os nomes de 27 investigados no âmbito da Operação Hidra de Lerna, deflagrada na manhã desta quinta-feira (30), que tiveram representados os pedidos de prisão temporária, além dos 34 mandados de busca e apreensão. A Justiça, no entanto, autorizou a expedição dos mandados de prisão apenas para 21 deles.

Dos 27 investigados, 7 são despachantes (Núcleo despachantes), 5 são servidores do Detran do Piauí (Núcleo Detran), 9 são empresários e outras 6 pessoas (Núcleo logística/execução).

Foto: Divulgação/PC-PIPresos na operação
Presos na operação

Os membros do núcleo despachantes são: Maria Ovete de Andrade Monteiro, Osmar Muniz Monteiro Neto (filho de Ovete), Raimundo da Costa Araújo Neto, Criudio Socorro Vieira da Silva, Joselito Pereira de Sousa, Márcio de Sousa Silva e Mário de Sousa Silva.

Do núcleo Detran os investigados são: Francisco Carlos Nunes Teixeira (Diretor de Vistoria), Dorival da Silva Araújo (vistoriador), Adalto da Silva Pimentel (vistoriador), Paulo Damasceno Gomes da Silva (vistoriador) e Marcio Marques de Moura Paiva.

Do núcleo logística/execução os alvos são: Pedro Gabriel de Carvalho Sena, Daniela Francisca de Lima, Antônio Reis Alves da Silva, Bruno Manoel Gomes Arcanjo, Carlos André Araújo Santos, Gabriel Seabra Araújo (filho de Dorival), Rafael Ferreira Félix, Hélcio Laércio da Costa Martins, Lucilene Lira Andrade, Luiz Filho Alencar Sobrinho, Walisson Wender de Araújo Lima, Fabiano Ferreira Santos, Francisco Xavier Ferreira dos Santos, Jaylson Sá de Oliveira e Reveraldo Ribeiro da Silva.

Os alvos da organização criminosa foram: BB Administradora de Consórcios S/A; Banco Bradesco S/A, Banco do Brasil S/A, Banco Santander S/A; Santander Brasil Admin. de Consórcio LTDA, Cooperativa de Crédito Sicoob Cooperbom LTDA, Banco Votorantim S/A, DETRAN-PI e terceiros de boa-fé (pessoas físicas e jurídicas).

Prejuízo

A investigação apontou que apesar de terem sido identificados 37 veículos frutos desse golpe, a estimativa é que entre 100 a 300 veículos foram emplacados dessa forma causando prejuízo estimado de até R$ 130 milhões somente no estado do Piauí e de R$ 1 bilhão no Brasil inteiro, com exceção de dois estados.

Crimes

Os alvos da operação são acusados de 12 crimes: estelionato, falsificação de documento público, falsificação de documento particular, falsidade ideológica, uso de documento falso, adulteração de sinal identificador de veículo automotor, inserção de dados falsos em sistema de informações, peculato, concussão, corrupção passiva, corrupção ativa, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Operação Hidra de Lerna

A operação foi deflagrada através do 13º Distrito Policial de Teresina, com o apoio de delegacias especializadas, juntamente com a Polícia Civil do Maranhão, com o objetivo de cumprir 21 mandados de prisão temporária e 34 mandados de busca e apreensão, no bojo das investigações que apuram a atuação de uma organização criminosa em um complexo esquema de aquisição de veículos com a utilização de notas fiscais frias. No total, foram presas 16 pessoas.

Dentre os alvos estão funcionários do Departamento de Trânsito do Piauí, entres servidores efetivos e terceirizados, além de empresários e também agentes públicos, que tinham como objetivo confeccionar documentos de transferência e de licenciamento anual (DUT e CRLV) sem a presença dos veículos para, assim, possibilitar acesso a empréstimos, consórcio de veículos que sequer existiam, causando um prejuízo de cerca de 12 milhões de reais contra agentes financeiros e reais proprietários de veículos.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.