GP1

Polícia

Enfermeiro acusado de estuprar cunhada no Hospital São Marcos é preso

A prisão do acusado ocorreu após ele se entregar no 12º Distrito Policial na zona leste de Teresina, depois que a Justiça decretou sua prisão temporária.

O enfermeiro Ricardo da Silva Paz, acusado de dopar e estuprar a cunhada dentro de um apartamento no Hospital São Marcos, foi preso na tarde desta quinta-feira (03), após se entregar no 12º Distrito Policial, na zona leste de Teresina.

Ricardo da Silva Paz chegou acompanhado de seu advogado, na sede do 12º Distrito Policial, onde foi cumprido o mandado de prisão temporária pela delegada titular do inquérito, Vilma Alves. Durante o procedimento ele permaneceu calado.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Ricardo da Silva PazRicardo da Silva Paz

“Ele veio acompanhado do advogado representante e vamos agora aguardar os acontecimentos. Nós já cumprimos a prisão. Durante o interrogatório ele permaneceu calado, não deu resposta nenhuma. Esperamos que ele possa dar ainda as respostas necessárias. Com relação a isso [o uso de medicamento psiquiátrico do acusado] não estamos sabendo. Ele optou em falar somente perante a Justiça”, disse a delegada Vilma Alves.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Delegada Vilma AlvesDelegada Vilma Alves

Por volta de 15h10, o enfermeiro deixou o 12º e foi encaminhado para o Instituto de Medicinal Legal (IML) de Teresina, onde passará por exame de corpo de delito e, depois, será conduzido para a Central de Flagrantes de Teresina.

Na quarta-feira (02), o juiz de Direito José Olindo Gil Barbosa, da 5ª Vara Criminal (Maria da Penha) da Comarca de Teresina, havia decretado a prisão temporária do enfermeiro.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Enfermeiro aguardando passar por exame de corpo de delito no IML de TeresinaEnfermeiro aguardando passar por exame de corpo de delito no IML de Teresina

A decisão do juiz foi tomada após requerimento da delegada Vilma Alves, solicitando a prisão preventiva de Ricardo da Silva Paz sob a alegação de que, na madrugada do último dia 31 de outubro, ele teria praticado o crime de estupro de vulnerável, contra sua cunhada, depois de ela ter ingerido um comprimido oferecido pelo próprio enfermeiro no Hospital São Marcos. Na ocasião, a vítima adormeceu e acordou horas depois sentindo dores nas partes íntimas. Após exames, foi constatado o estupro.

Decisão

O magistrado destacou que ao analisar os fatos e os elementos levados até ele, verificou a necessidade da segregação de Ricardo, porém, no atual momento e a falta de outros elementos indiciários mais robustos, entendeu que a medida mais justa é a da prisão temporária em lugar da prisão preventiva.

"A prisão temporária é uma prisão provisória, possui natureza cautelar e ocorre durante a fase de investigação do Inquérito Policial. Em geral, é usada para a coleta de provas, e, se necessário, posteriormente, mediante representação ou requerimento, poderá ser “convertida” em prisão preventiva", explicou.

Por fim, decidiu "em consonância, em parte, com a manifestação ministerial, que opinou pela preventiva, decreto a prisão temporária da pessoa de Ricardo da Silva Paz pelo prazo de 30 (trinta) dias, prorrogável por igual período em caso de extrema e comprovada necessidade".

Ainda de acordo com a decisão, ele deverá ser recolhido em prisão especial ou quartéis, por ser portador de curso superior e permanecer separado dos demais detentos, por se tratar de prisão temporária. Após o prazo de 30 dias de detenção, o juiz destacou que o preso deverá ser posto imediatamente em liberdade, caso não seja determinada sua prisão preventiva.

Entenda o caso

O enfermeiro estava sendo investigado pela Polícia Civil do Piauí, sob acusação de ter estuprado a própria cunhada, que acompanhava um paciente em um apartamento no Hospital São Marcos.

Um familiar revelou ao GP1 que a vítima havia acompanhado seu sogro no hospital no dia anterior ao crime e tinha ido para casa descansar, deixando outra pessoa no apartamento. Porém, a empresária recebeu uma ligação do enfermeiro, relatando que o paciente não poderia ficar aos cuidados de alguém sem experiência e requisitou que ela retornasse ao hospital e ficasse com o sogro.

Ao retornar, o enfermeiro teria oferecido um remédio para a vítima, que tomou a medicação e acabou adormecendo. Cerca de seis horas depois ela acordou com fortes dores na região genitália e assim começou a suspeitar que tinha sido vítima de violência sexual. Ela registrou um Boletim de Ocorrência, fez exame de corpo de delito e depois de ser submetida a outro exame na Maternidade Dona Evangelina Rosa foi comprovado o estupro.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Decretada prisão de enfermeiro acusado de estuprar cunhada no São Marcos

Coren-PI abre processo disciplinar contra enfermeiro acusado de estupro

Delegada Vilma Alves pede prisão de enfermeiro acusado de estupro

Enfermeiro acusado de estuprar cunhada se internou no Areolino de Abreu

Enfermeiro é acusado de estuprar a cunhada no Hospital São Marcos

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.